Carteiro não entregou 400 quilos de cartas e guardou-as em casa

Acabou por deixar a profissão e justifica-se com o baixo salário que recebia

Um antigo carteiro italiano está a ser investigado depois de as autoridades terem encontrado cerca de 400 quilos de correspondência na casa deste, em Turim.

O homem de 33 anos, cujo nome não foi revelado, disse à polícia que não entregou cartas durante três anos porque o seu salário era muito baixo. Acabou por deixar a profissão em 2017.

Foi descoberto depois de uma operação de rotina da polícia, que descobriu então 70 cartas um dos bancos do carro. Foi ainda encontrada, explica o Guardian, uma faca de 20 centímetros. Ao achar a situação estranha, a polícia foi a casa do ex-carteiro, onde encontrou 40 caixas de cartas por entregar, que incluíam contas, cartas do banco, e correspondência privada.

"Não me pagavam o suficiente e então despedi-me", terá dito.

Esta não é a primeira vez que situações destas acontecem em Itália. Em janeiro, um homem de 56 anos foi detido, em Vicenza, por ter 500 kg de correspondência por entregar, com alguma a datar de 2010. A pilha de correspondência, uma das maiores alguma vez encontradas pelas autoridades, tinha desde listas telefónicas a panfletos de partidos políticos. Em 2013, um carteiro na Sardenha não entregou 400 quilos de cartas durante um período de quatro anos, o que em Itália dá direito a um ano de prisão.

Exclusivos

Premium

Leonídio Paulo Ferreira

Nuclear: quem tem, quem deixou de ter e quem quer

Guerrilha comunista na Grécia, bloqueio soviético de Berlim Ocidental ou Guerra da Coreia são alguns dos acontecimentos possíveis para datar o início da Guerra Fria, que alguns até fazem remontar à partilha da Europa em esferas de influência por Churchill e Estaline ainda o nazismo não tinha sido derrotado. Mas talvez 29 de agosto de 1949, faz agora 70 anos, seja a melhor opção, afinal nesse dia a União Soviética fez explodir a sua primeira bomba atómica e o monopólio da arma pelos Estados Unidos desapareceu. Sim, foi o teste em Semipalatinsk que estabeleceu o tal equilíbrio do terror, primeiro atómico e depois nuclear, que obrigou as duas superpotências a desistirem de uma Guerra Quente.