Bolsonaro. "Está consciente, já acordou, reconheceu os filhos"

Depois de ter sido esfaqueado numa ação de campanha, o candidato às eleições brasileiras apresenta um quadro médico estável

O candidato às eleições presidenciais brasileiras Jair Bolsonaro, que foi esfaqueado numa ação de campanha, apresenta um quadro médico estável após a operação realizada num hospital em Minas Gerais, disse um dos cirurgiões citado pela Globo 1.

"Ele está consciente, já acordou, reconheceu os filhos", disse o médico cirurgião Luiz Henrique Borsato, do hospital da Santa Casa de Juiz de Fora, em Minas Gerais.

Jair Bolsonaro deu entrada naquele hospital com uma lesão hepática grave.

Apesar do quadro estável, Bolsonaro não deverá receber alta hospitalar antes de "uma semana ou 10 dias"

Após o incidente, Bolsonaro foi encaminhado rapidamente para o hospital da Santa Casa de Juiz de Fora, dando entrada às 15:40 (19:40 de Lisboa), registando perdas significativas de sangue e pressão arterial baixa, segundo dados do hospital.

"O que houve foi uma hemorragia na veia abdominal, que foi logo estancada, e lesões nos intestinos grosso e delgado. Foi retirada a parte lesada do intestino grosso", disse Borsato, citado pelo órgão de comunicação brasileiro.

Apesar do quadro estável, Bolsonaro não deverá receber alta hospitalar antes de "uma semana ou 10 dias", explicou o cirurgião.

Flavio Bolsonaro, o filho do candidato às eleições presidenciais, partilhou nas redes uma fotografia do pai no hospital.

O incidente aconteceu em Juiz de Fora, cerca de 200 quilómetros a norte do Rio de Janeiro.

Jair Bolsonaro, candidato da extrema-direita brasileira, está em segundo lugar nas sondagens para as eleições presidenciais que decorrem em outubro.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

"Likai-vos" uns aos outros

Quem nunca assistiu, num restaurante, por exemplo, a esta cena de estátuas: o pai a dedar num smartphone, a mãe a dedar noutro smartphone e cada um dos filhos pequenos a fazer o mesmo, eventualmente até a mandar mensagens uns aos outros? É nisto que estamos... Por isso, fiquei muito contente quando, há dias, num jantar em casa de um casal amigo, reparei que, à mesa, está proibido o dedar, porque aí não há telemóvel; às refeições, os miúdos adolescentes falam e contam histórias e estórias, e desabafam, e os pais riem-se com eles, e vão dizendo o que pode ser sumamente útil para a vida de todos... Se há visitas de outros miúdos, são avisados... de que ali os telemóveis ficam à distância...