Canadá dá asilo a jovem saudita que fugiu da família. Rahaf já deixou a Tailândia

Rahaf Mohammed al-Qunun, de 18 anos, alegou ter recebido ameaças de morte da família após rejeitar casamento arranjado e renunciar à religião islâmica.

A jovem saudita que fugiu da família, após ter recebido ameaças de morte por rejeitar casamento arranjado, já está a caminho do Canadá, que lhe terá dado asilo político. Rahaf Mohammed al-Qunun, de 18 anos, deixou a Tailândia num avião da coreana Korean Air para Seul, onde fará escala para chegar ao Canadá.

Um responsável dos serviços de imigração tailandeses confirmou à Reuters que a jovem conseguiu asilo no Canadá, mas as autoridades canadianas não o confirmaram. "Não temos nada novo a adiantar neste momento", disse um porta-voz da diplomacia canadiana.

O Canadá era um dos países aos quais tinha pedido asilo.

Rafah tinha sido detida no sábado passado em Banguecoque, na Tailândia, onde fez escala após fugir da família no Kuwait. A jovem tinha previsto viajar para a Austrália, onde pretendia pedir asilo depois de receber ameaças de morte da sua família por ter rejeitado um casamento arranjado e também a religião islâmica.

De férias no Kuwait com sua família, a jovem fugiu (ao contrário do que acontece na Arábia Saudita, nesse país as mulheres não precisam de autorização do "guardião masculino" para viajar) e aterrou no aeroporto de Banguecoque.

As autoridades tailandesas queriam deportá-la para a Arábia Saudita na manhã de segunda-feira, mas Rahaf barricou-se no seu quarto de hotel do aeroporto, de onde publicou mensagens desesperadas e vídeos na rede social Twitter, afirmando-se ameaçada de morte pela sua família caso regressasse a casa. A página do Twitter foi entretanto apagada, alegadamente após ameaças de morte.

A adolescente ficou sob a proteção do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados depois de deixar o aeroporto da capital tailandesa. O pai e o irmão terão viajado para Banguecoque, mas ela recusou encontrar-se com eles.

Ler mais

Exclusivos