Brasil assina acordo que permite aos EUA lançarem satélites da base de Alcântara

Os governos brasileiro e norte-americano assinaram hoje, em Washington, um acordo que permite aos Estados Unidos da América o lançamento de satélites a partir da base de Alcântara, no Estado brasileiro do Maranhão.

O acordo, confirmado pelo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, foi assinado na Câmara Americana de Comércio, pelos ministros brasileiros Ernesto Araújo, das Relações Exteriores, e Marcos Pontes, da Ciência e Tecnologia, e por Christopher Ashley Ford, secretário de Estado adjunto norte-americano para a Segurança Internacional.

Na prática, o acordo prevê que os Estados Unidos possam lançar satélites e foguetes da base de Alcântara, sendo que o território continuará sob jurisdição brasileira.

O compromisso assinado entre os dois Estados é uma das principais iniciativas da deslocação de Bolsonaro aos EUA.

Segundo a revista brasileira Veja , embora as empresas norte-americanas tenham de pagar pelo uso da base, o Brasil não terá direito de acesso à tecnologia usada pelos Estados Unidos.

Durante o governo do ex-chefe de Estado Luiz Inácio Lula da Silva, um outro acordo de operação conjunta na base de Alcântara, que previa a transferência de tecnologia, foi assinado com a Ucrânia. O país europeu desenvolveria o veículo lançador do satélite, com ajuda financeira do Brasil.

No entanto, a primeira tentativa de lançamento resultou numa explosão que matou 21 técnicos, recorda a Veja.

De acordo com o portal de notícias G1, foi ainda assinado hoje, entre o Brasil e Estados Unidos, um acordo de ajuste complementar entre a Administração Nacional de Aeronáutica e Espaço (NASA) dos Estados Unidos e a Agência Espacial Brasileira (AEB), para uma cooperação na pesquisa de observações de fontes luminosas espaciais.

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, iniciou no domingo uma viagem oficial aos Estados Unidos da América, naquela que é a sua primeira visita ao estrangeiro enquanto chefe de Estado, considerada pelo próprio como "estratégica".

Bolsonaro e o seu homólogo norte-americano, Donald Trump, irão encontrar-se na terça-feira, numa reunião privada na Casa Branca.

Os dois líderes terão um almoço de trabalho e uma reunião com os ministros dos dois países, dando depois uma conferência de imprensa.

Exclusivos