Alemanha não aceita Cartão de Cidadão de emigrantes portugueses

Documento não é considerado válido para polícia, bancos, correios e outras instituições. Ausência da data de emissão é uma das razões.

Os conselheiros das comunidades portuguesas estão a receber queixas de emigrantes portugueses na Alemanha a quem foi recusado o Cartão de Cidadão. Em causa estão "centenas de casos" em que o documento não é aceite nem reconhecido uma vez que faltam dados importantes e que não estão visíveis, como a morada e a data de emissão, segundo avançou o jornal Mundo Português em junho.

O jornal avançava que o problema já era antigo e do conhecimento do governo português e da representação diplomática portuguesa (embaixada e consulados portugueses), mas que nada fora feito para o resolver.

As dificuldades, para quem vive na Alemanha, são várias, uma vez que o documento não é aceite por "polícia, bancos, correios, agências de viagens, entre muitas outras", o que obriga os emigrantes portugueses a custos elevados na obtenção de documentos adicionais.

À TSF, e mais de um mês depois, o embaixador de Portugal em Berlim, João Mira Gomes, garantiu que estão a ser feitas diligências para que esse tipo de situações não volte a acontecer.

Portugal tem "pedido que aceitem o cartão e tentem ultrapassar essa dificuldade", acrescentou o diplomata, referindo-se aos Correios da Alemanha, uma das instituições que não aceitam o Cartão de Cidadão português como documento de identificação válido.

Ministério dos Negócios Estrangeiros já foi questionado

O deputado do PSD Carlos Alberto Gonçalves questionou nesta semana o Ministério dos Negócios Estrangeiros sobre este problema, de acordo com a TSF.

O Mundo Português publicou ainda a carta a denunciar a situação, assinada pelos conselheiros das comunidades portuguesas eleitos pelo círculo da Alemanha, Manuel Machado, Alfredo Stoffel, José Loureiro e Nelson Campos, e enviada ao secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, ao diretor-geral dos Assuntos Consulares e Comunidades Portuguesas, à Embaixada de Portugal em Berlim, aos consulados de Portugal na Alemanha e aos deputados da Emigração eleitos pelo círculo da Europa.

"Para nossa tristeza e lamento, até ao dia de hoje (3.6.2018) só obtivemos resposta do Consulado de Düsseldorf. Não nos foi dada qualquer resposta, por parte de todas as outras entidades, nem mesmo a acusar a receção da nossa missiva e preocupação", revelaram, acrescentando que "a ausência de qualquer resposta denota desprezo, falta de respeito e consideração pelos conselheiros das comunidades portuguesas".

Ler mais

Exclusivos