Filho de Biden nunca foi investigado, diz Ucrânia

Estão a ser investigadas as atividades da companhia de gás ucraniana Burisma referentes ao período entre 2010 e 2012, antes da entrada na empresa do filho do antigo vice-presidente Biden

A Agência Nacional Anticorrupção da Ucrânia afirmou esta sexta-feira que está a investigar as atividades da companhia de gás Burisma referentes ao período entre 2010 e 2012, ou seja, antes da entrada na empresa do filho do antigo vice-presidente dos EUA Joe Biden.

A companhia de gás tem estado em destaque nos últimos dias, depois de se saber que o presidente dos EUA, Donald Trump, pediu ao seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, que investigasse as atividades de Joe Biden - o principal candidato à nomeação democrata, antes das eleições presidenciais de 2020 -, cujo filho, Hunter, fez parte do conselho de administração da Burisma.

Os democratas acusam Trump, que procura a reeleição no próximo ano, de solicitar a ajuda da Ucrânia para difamar Biden. Na terça-feira, 24 de setembro, a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, anunciou que a Câmara liderada pelos democratas decidiu avançar com uma investigação oficial de "impeachment" (destituição) e ordenou que seis comissões continuassem com as investigações sobre as ações do presidente.

Na quarta-feira, a Casa Branca divulgou um resumo da transcrição da conversa telefónica entre Trump e Zelenski, realizada a 25 de julho, na qual o presidente norte-americano pede ao seu homólogo ucraniano para saber se o ex-vice-presidente Joe Biden mandou parar uma investigação sobre uma empresa onde o filho do democrata trabalhou.

Filho de Biden esteve na empresa de gás ucraniana entre 2014 e 2018

"As mudanças no conselho da Burisma Limited, que atualmente são objeto de atenção internacional, ocorreram apenas em maio de 2014 e, portanto, não são e nunca foram objeto de investigação(da agência anticorrupção)", pode ler-se num comunicado do organismo, divulgado pela Reuters.

Hunter Biden esteve no conselho de administração da Burisma entre 2014 e 2018, de acordo com documentos apresentados pela empresa em Chipre, onde está registada.

A investigação à Burisma cobre um período em que a Ucrânia foi governada por Viktor Yanukovich, um presidente pró-russo. O filho de Biden foi contratado pela empresa depois de Yanukovich ter sido deposto pelo Parlamento em Kiev, depois de vários meses de protestos pró-ocidentais.

À radio Novoye Vremya, Nazar Kholodnytsky, que lidera as investigações anticorrupção do Ministério Público da Ucrânia, afirmou que nem Joe nem Hunter Biden foram chamados para interrogatório em relação à investigação levada a cabo pela Agência Nacional Anticorrupção da Ucrânia sobre as atividades de Burisma.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG