Felipe sobre Juan Carlos: "Princípios éticos estão acima de considerações familiares"

O rei optou por referir-se com indiferença aos escândalos do pai, que responde a três investigações judiciais sobre a sua fortuna e está atualmente exilado em Abu Dhabi.

O rei da Espanha, Felipe VI, apelou nesta quinta-feira a "princípios morais e éticos" diante dos escândalos do seu pai Juan Carlos, que responde a três investigações judiciais sobre a sua fortuna e está atualmente exilado em Abu Dhabi.

Era muitas as expectativas sobre a tradicional mensagem natalícia do rei, num ano difícil para a imagem da monarquia espanhola. Felipe de Borbón optou por referir-se com indiferença aos problemas do pai, que reinou em Espanha entre 1975 e 2014.

"Já em 2014, na minha proclamação perante as Cortes Gerais, referi-me aos princípios morais e éticos que os cidadãos exigem da nossa conduta. Princípios que nos obrigam a todos, sem exceções, e que estão acima de qualquer consideração seja de que natureza for, mesmo da pessoal ou familiar", afirmou o monarca.

"É assim que sempre o entendi, em coerência com as minhas convicções, com a forma como entendo as minhas responsabilidades como chefe de Estado e com o espírito renovador que inspira o meu reinado desde o primeiro dia", prosseguiu.

Em março, e perante o aumento de indícios de que ​​​​​​Juan Carlos escondia uma opaca fortuna no exterior, o atual rei renunciou à herança económica do pai e retirou-lhe o subsídio anual, estimado em mais de 194 mil euros.

O discurso desta quinta-feira foi provavelmente o mais delicado para Felipe VI desde que ascendeu ao trono.
É que além da crise social e económica desencadeada pela pandemia - "2020 tem sido um ano muito duro e difícil", destacou no seu discurso - os problemas judiciais de Juan Carlos alimentaram o discurso da esquerda radical do Unidas Podemos, parceiro de governo dos socialistas do primeiro-ministro Pedro Sánchez.

"Suspeito que este ano muitos compatriotas", após o discurso da véspera de Natal, "vão se perguntar se são monárquicos ou republicanos, e acho que esse debate vai acontecer em muitas casas", disse o líder do Unidas Podemos e vice-presidente do governo, Pablo Iglesias.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG