Estátua de fundador dos escoteiros vai ser retirada por simpatias nazis

Poole vai retirar a estátua de Robert Baden-Powell, herói de guerra britânico e fundador do movimento escotista, por causa dos protestos antirracistas desencadeados pela morte de George Floyd nos EUA.

As autoridades municipais de Poole, no sul de Inglaterra, vão remover a estátua de Robert Baden-Powell, o fundador do movimento escotista que tem mais de 54 milhões de membros em todo o mundo. Tudo por causa das simpatias nazis do antigo herói de guerra britânico, que morreu em 1941 com 83 anos.

A decisão surge após sugestão da polícia, em plenos protestos antirracistas desencadeados pela morte do afro-americano George Floyd à mão da polícia nos EUA que já resultaram da destruição de várias estátuas no Reino Unido e não só.

A estátua, que foi instalada em 2008 no porto a olhar para a ilha Brownsea onde ele começou o seu movimento em 1907, será guardada num armazém até ser tomada uma decisão final.

"Apesar de famoso pela criação dos escoteiros, também reconhecemos que há alguns aspetos da vida de Robert Baden-Powell que são considerados menos merecedores de comemoração", indicou a líder do governo local, Vikki Slade. Baden-Powell, que era major-general na segunda guerra contra os Bóeres na África do Sul (1899-1902), tem sido acusado de racismo, homofobia e apoio a Adolf Hitler.

Mas a decisão de retirar a estátua não é consensual: "Poucas figuras históricas estão de acordo com os valores do século XXI. Expurgar simplesmente ligações passadas não corrigirá erros nem nos ajudará a aprender melhor com o nosso passado", escreveu no Twitter o deputado conservador eleito pela região de Bournemouth East.

Um porta-voz da Associação de Escoteiros disse à BBC que o movimento "é firme no seu compromisso de inclusão e diversidade e os membros refletem continuamente e desafiam-se na maneira de viver os nossos valores", mostrando-se abertos a discutir o tema com as autoridades locais "para tomar uma decisão informada sobre o que acontece a seguir".

No domingo, manifestantes em Bristol retiraram uma estátua do negociante de escravos do século XVII Edward Colston e atiraram-na ao porto. A estátua foi recuperada esta quinta-feira e as autoridades locais indicaram que será colocada num museu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG