Do rapper Kanye West a Phil Collins (não o cantor): eis os outros adversários de Trump

Apesar de o democrata Joe Biden ser a maior ameaça à reeleição de Donald Trump, nos boletins de voto há outros nomes.

O presidente norte-americano, Donald Trump, não tem como único adversário o democrata Joe Biden. Nos boletins de voto nas presidenciais de 3 de novembro há outros candidatos, alguns com nomes bem conhecidos.

Kanye West

O agitador da música e da moda anunciou a candidatura presidencial no Twitter a 4 de julho, Dia da Independência dos EUA, e cumpriu os critérios para aparecer no boletim de voto de 12 dos 50 estados. Um número que não permite, matematicamente, que possa chegar à Casa Branca.

A campanha do rapper e marido de Kim Kardashian, que sofre de transtorno bipolar, gerou mais dúvidas que entusiasmo.

Os simpatizantes de Donald Trump esperam que o músico de 43 anos, ex-apoiante do presidente republicano, possa tirar alguns votos de eleitores negros de Joe Biden.

Na Califórnia, West aparece como candidato a vice-presidente de Roque "Rocky" De La Fuente Guerra, na lista do Partido Independente Americano. O empresário já é um veterano nas candidaturas, tendo concorrido em quase todas as eleições desde as presidenciais de 2016.

Jo Jorgensen

O Partido Libertário é a terceira fora política do país, mas fica sempre muito atrás de republicanos e democratas. O seu candidato de 2016, Gary Johnson, ex-governador do estado do Novo México, recebeu 4,5 milhões dos votos, mais de 3% do voto popular, o que foi um recorde para o partido.

Defensor das liberdades individuais, do livre comércio e do Estado mínimo, o Partido Libertário é o único que, além do Partido Republicano e do Partido Democrata, aparece nos boletins de voto dos 50 estados.

Este ano os libertários são representados por Jo Jorgensen, uma professora de Psicologia de 63 anos que aparece nas sondagens, pelo menos nas poucas que levam em consideração os candidatos menores, com até 4% das intenções de votos.

Howie Hawkins

Há quatro anos, a candidata do Partido Verde, Jill Stein, recebeu apenas 1% do voto popular. Apesar do número reduzido, muitos acreditam que contribuiu para a derrota da democrata Hillary Clinton ao receber votos em estados cruciais que Trump venceu por pouco, incluindo Pensilvânia, Michigan e Wisconsin.

O candidato do partido desta vez é um de seus fundadores, o californiano Howie Hawkins. Aos 67 anos, Hawkins defende a cobertura médica universal e afirma ter sido o criador do Green New Deal, agora adotado pela ala progressista do Partido Democrata.

Outros

Colorado e Vermont são os dois estados com o maior número de candidatos à presidência: 21. Alguns deles são filiados a partidos como o Partido pelo Socialismo e a Libertação, o Partido Aliança ou o Partido da Constituição, cujo candidato, Don Blankenship, passou um ano na prisão após uma explosão fatal numa das minas de carvão da sua empresa.

O 'Prohibition Party', que propõe o regresso da lei seca (a proibição das bebidas alcoólicas), tem como candidato Phil Collins, que não tem nenhuma relação com o músico britânico dos Genesis.

Outra "celebridade" que concorre às eleições 3 de novembro em 15 estados, como candidato independente, é o antigo ator infantil Brock Pierce, que atuou na juventude em filmes da Disney como A Hora dos Campeões (The Mighty Ducks, no original) e Guarda-Costas, Ama-Seca. Atualmente éconhecido pelas suas atividades com criptomoedas.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG