Discurso da Rainha sem pompa: nada de carruagem ou coroa, mas com Brexit

Isabel II vai ler nesta quinta-feira o discurso escrito pelo governo de Boris Johnson com os seus planos para o ano parlamentar, mas ao contrário do que aconteceu em outubro e do que é tradicional, não haverá desfile nem coroa.

Nada de carruagens puxadas por cavalos ou desfile pelas ruas de Londres, a pesada coroa imperial estará na Câmara dos Lordes mas Isabel II usará apenas um chapéu, os trajes de cerimónia (incluindo o do príncipe Carlos que acompanhará a mãe) ficam também guardados para uma próxima ocasião. O tradicional Discurso da Rainha, que marca a abertura oficial do novo ano parlamentar, decorre esta quinta-feira sem a habitual pompa.

Tudo por causa das "circunstâncias únicas das eleições gerais" e também devido "à proximidade do Natal", de acordo com o site oficial do Parlamento. A rainha quer ir o mais rapidamente possível para a casa de campo em Sandringham, onde habitualmente passa as férias de Natal.

Dois meses depois de ter lido o anterior discurso, na altura após a polémica sobre se o primeiro-ministro tinha ou não mentido nas razões que o levaram a suspender o Parlamento, Isabel II volta à Câmara dos Lordes para ler um segundo discurso escrito pelo governo de Boris Johnson.

O discurso está marcado para as 11.30, podendo a partir daí os deputados começar a trabalhar normalmente -- esta sexta-feira vão já aprovar a lei que adapta o acordo de saída do Brexit à legislação britânica.

A versão mais austera do Discurso da Rainha não é nova. Em 2017, depois das eleições em que Theresa May perdeu a maioria que os conservadores detinham, a cerimónia já tinha sido também despojada. Na altura alegou-se que seria uma forma de a monarca mostrar o seu descontentamento com o mau resultado eleitoral numas eleições antes do prazo.

Brexit, mas também muito NHS

O conteúdo do discurso ainda não é conhecido, sendo esperado contudo que inclua a promessa de sair da União Europeia antes de 31 de janeiro, como foi prometido nas eleições que deram a maioria a Boris Johnson. Além disso deverá incluir o compromisso de uma reforma da imigração e um reforço dos gastos no sistema nacional de saúde britânico (NHS, na sigla em inglês).

"O coração deste Discurso da Rainha será o nosso financiamento recorde para o NHS: 34 mil milhões de libras nos próximos cinco anos"; disse o secretário parlamentar do Tesouro, Rishi Sunak, na manhã desta quinta-feira à BBC. "O primeiro-ministro disse que quer ser o governo do povo. É claro que queremos avançar e garantir o Brexit, mas depois há todas as outras prioridades de que falámos e no centro delas está o NHS", acrescentou.

Ainda de acordo com a BBC, o discurso incluirá cerca de 20 propostas de lei, incluindo aquela que permitirá a saída da União Europeia a 31 de janeiro, mas também sentenças mais longas para criminosos violentos.

Também deve incluir planos para aumentar os investimentos em infraestruturas, especialmente no norte do país, em locais que tradicionalmente votavam no Labour mas que, nestas eleições, optaram pelos Tories.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG