Dez dias depois de Meghan, Harry chega ao Canadá

Harry chega ao Canadá dois dias depois de ter manifestado a "grande tristeza" pela forma como ele e mulher, Meghan Markle, renunciaram aos títulos de Suas Altezas Reais como parte do acordo de separação da família real britânica.

O duque de Sussex chegou esta terça-feira de manhã ao Canadá para iniciar uma nova vida que não inclui estar ao serviço da Casa Real britânica. Harry está separado de Meghan há mais de 10 dias, depois da duquesa de Sussex ter voltado ao Canadá no início deste mês. Archie, que nasceu em maio, não regressa ao Reino Unido desde as férias de Natal da família na ilha de Vancouver.

O príncipe britânico, de 35 anos, desembarcou em Vancouver às 20:00 locais de segunda-feira (03:00 de hoje em Lisboa), com vestuário casual, de gorro na cabeça e uma mochila ao ombro, segundo imagens publicadas pelo jornal britânico Daily Mail.

A estação de televisão britânica privada Sky News mostrou o príncipe a correr para um carro de cor cinzenta que o esperava na pista do aeroporto e, posteriormente, saiu sob escolta policial.

Os duques de Sussex anunciaram, há cerca de duas semanas, que pretendiam deixar de ser "membros sénior", com deveres reais, da família real britânica. A partida de Harry do Reino Unido para o Canadá marca o primeiro passo na "vida mais independente" dos duques de Sussex, uma opção do casal que a Rainha Isabel II disse "apoiar".

Harry chega ao Canadá dois dias depois de ter manifestado a "grande tristeza" pela forma como ele e mulher, Meghan Markle, renunciaram aos títulos de Suas Altezas Reais como parte do acordo de separação da família real britânica.

Num vídeo colocado no Instagram, o duque de Sussex, sexto na linha de sucessão ao trono britânico, afirmou: "Fico muito triste que isto tenha acabado assim". "A nossa esperança era continuar a servir a Rainha, a comunidade e as minhas associações militares, mas sem financiamento público. Infelizmente, isso não é possível", acrescentou.

Num evento em que participou no domingo à noite, Harry explicou que nem ele nem a mulher estão a "fugir".

"O Reino Unido é a minha casa e adoro isso, nunca vai mudar". Os duques de Sussex já anunciaram que tencionam passar mais tempo no Canadá, para onde Meghan partiu logo depois do anúncio do seu afastamento da família real.

"Só posso imaginar o que já devem ter ouvido e lido nas últimas semanas. Por isso quero que oiçam a verdade da minha boca, tanto quanto posso partilhar, não como príncipe, não como duque, mas como Harry", afirmou numa receção para recolha de fundos para o London for Sentebale, que ajuda crianças com HIV em África.

Harry garantiu ter "o maior respeito" pela avó, a Rainha, e garantiu que apesar de não poder continuar a representar Isabel II, isso "não vai mudar quem eu sou ou o quão empenhado estou".

Harry e Meghan renunciaram oficialmente aos títulos de Alteza Real e, a partir da primavera, não receberão fundos públicos. O anúncio foi feito no sábado pelo Palácio de Buckingham: "Harry e Meghan vão deixar de usar os títulos reais pois já não são membros em funções da Família Real", dizia a declaração oficial da Rainha Isabel II.

A monarca mostrava-se "satisfeita" com a conclusão das conversações, que permitiu encontrar "um caminho construtivo e solidário" para o neto "e a sua família". "Harry, Meghan e Archie [filho do casal] serão sempre membros muito amados da minha família", acrescentou.

O casal deixará de representar formalmente a rainha e tenciona reembolsar o estado britânico em 2,4 milhões de libras [2,8 milhões de euros] pela sua residência familiar no Reino Unido, a conhecida Frogmore Cottage, que recebeu obras de requalificação para receber o casal.

Entretanto, durante um ano, o casal vai receber uma "mesada" do príncipe Carlos, pai de Harry.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG