Deputados de Moqtada Sadr barricaram-se no parlamento

Desde o início de outubro que o Iraque é palco de manifestações violentas contra o Governo, que já levaram à morte de mais de uma centena de pessoas. Os manifestantes pedem mais apoio social e uma classe política renovada.

Os deputados do influente líder xiita Moqtada Sadr barricaram-se esta noite no parlamento iraquiano e dizem que não abandonam o local até as reivindicações dos manifestantes serem atendidas, disseram dois deles à AFP.

O Iraque entrou em 1 de outubro numa crise social - inesperada por ter sido espontânea - que degenerou numa crise política com manifestações violentas contra o Governo. Os manifestantes rejeitam as medidas sociais anunciadas como um todo e exigem uma nova Constituição e uma classe política completamente renovada. Pediram ainda oficialmente ao Presidente da República para lhes manifestar um voto de confiança, anunciaram dois deles à AFP.

No meio do caos, ataques a sedes de partidos e grupos armados nas cidades do sul representam a ameaça de mais violência.

O protesto teve dois episódios. O primeiro, entre 1 e 6 de outubro, terminou oficialmente com 157 mortos, quase todos os manifestantes, reconhecendo o Estado um "uso excessivo" da força.

O segundo, iniciado na noite de quinta-feira, após uma interrupção de 18 dias, por ocasião de uma importante peregrinação xiita, causou até agora 63 mortes, de acordo com a Comissão de Direitos Humanos do governo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG