Costa espera "que a UE tenha aprendido" e não frustre expetativas dos Balcãs

Os chefes de Estado e de Governo da UE devem decidir hoje se dão o seu aval à abertura de negociações com a Macedónia do Norte e Albânia

O primeiro-ministro, António Costa, disse esta quinta-feira esperar que a União Europeia tenha aprendido com o que aconteceu, por exemplo, na Turquia e não mantenha os países dos Balcãs Ocidentais com "expectativas frustradas" ao longo dos anos.

Em declarações aos jornalistas durante uma pausa no Conselho Europeu que decorre em Bruxelas, Costa indicou que hoje à noite os líderes da UE irão discutir o alargamento "e aquilo que está em causa é saber se se passa à fase das negociações ou se se mantém a expectativa em aberto relativamente à Macedónia do Norte e Albânia", países dos Balcãs que aguardam há muito a 'luz verde' para a abertura de negociações para uma futura adesão.

"Eu espero que a UE tenha aprendido com o que aconteceu com a Turquia nos últimos anos e quais são as consequências de manter em aberto durante décadas expectativas frustradas. E, portanto, há uma altura em que também a resposta tem de ser conclusiva, de avançar ou de encerrar, porque senão isso tem consequências muito negativas numa região que é muito sensível, que é muito instável, e onde seguramente temos condições para contribuir para a sua estabilização, e não para a sua maior instabilidade", disse.

Os chefes de Estado e de Governo da UE devem decidir hoje se dão o seu aval à abertura de negociações com a Macedónia do Norte e Albânia, recomendada pela Comissão Europeia já em maio passado, mas que tem sido bloqueada pela França, como voltou a acontecer no Conselho de Assuntos Gerais celebrado na terça-feira no Luxemburgo.

Na quarta-feira, também a Comissão Europeia lamentou hoje que os 28 não tenham ainda seguido a sua recomendação de abrir negociações para a adesão da Macedónia do Norte e Albânia, depois de todas as reformas implementadas por estes dois países, em linha com os requisitos fixados pela UE, e advertiu para os riscos de ignorar os Balcãs Ocidentais.

A Macedónia do Norte é candidata à UE desde 2005, enquanto a Albânia pediu para aderir em 2014.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG