Ciclone Amphan chega à Índia e está a devastar Calcutá

Chuvas torrenciais e ventos fortes estão a devastar Calcutá, arrancando árvores, causando inundações e interrompendo as telecomunicações.

O ciclone Amphan, o mais poderoso desde o início do século na Baía de Bengala, chegou esta quarta-feira ao leste da Índia, com ventos de até 190 quilómetros por hora, anunciaram os serviços meteorológicos indianos.

"O ciclone atingiu terra firme. O olho está sobre a ilha de Sagar", localizada no estuário do rio Hoogly, a cerca de 100 quilómetros a sul de Calcutá, disse o diretor do centro meteorológico regional, Sanjib Banerjee.

Chuvas torrenciais e ventos fortes estão a devastar Calcutá, arrancando árvores, causando inundações e interrompendo as telecomunicações.

Grande parte da capital de Bengala Ocidental está mergulhada na escuridão, tendo a eletricidade sido cortada preventivamente pelos fornecedores para evitar acidentes.

"As pessoas gritam quando as rajadas atravessam a cidade, sacudindo portas e janelas", contou Sriparna Bose, uma professora universitária de 60 anos que garantiu nunca ter visto uma situação semelhante.

A Índia e o Bangladesh retiraram mais de três milhões de pessoas de suas casas, à medida que o ciclone se aproximava, e esperam danos consideráveis.

Meteorologistas temem maremotos

Os meteorologistas temem a possibilidade de se formar um maremoto que pode atingir até cinco metros de altura.

O poderoso ciclone já tinha provocado uma morte antes de atingir terra, quando um barco da organização não governamental Crescente Vermelho que estava a ajudar a retirar moradores da cidade costeira de Kalapara, no Bangladesh, se virou devido às rajadas de vento

O ciclone Amphan, o mais poderoso da região nas últimas duas décadas, formou-se na Baía de Bengala, e tanto a Índia como o Bangladesh temem danos consideráveis, tendo já deslocado quase dois milhões de pessoas.

O Bangladesh abrigou 1,5 milhões de pessoas que vivem em áreas costeiras baixas. No lado indiano, mais de 300.000 pessoas foram retiradas no estado de Bengala Ocidental (leste) e 20.000 na região vizinha de Odisha.

O Amphan foi classificado na segunda-feira como de categoria 4 (em 5) na escala Saffir-Simpson, com ventos entre 200 e 240 quilómetros por hora, e é o ciclone mais poderoso a formar-se no Golfo de Bengala desde 1999. Naquele ano, um ciclone matou 10.000 pessoas em Odisha.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG