Cessar-fogo no Iémen em tempo de Covid-19

Adel Abdul Rahman Bakhsh, embaixador do Reino da Arábia Saudita em Lisboa, escreve sobre o cessar-fogo no Iémen em resposta ao apelo do secretário-geral das Nações Unidas.

O anúncio do cessar-fogo no Iémen é uma iniciativa que traduz um sentido de responsabilidade e apoia os esforços do enviado do Secretário-Geral da ONU para o Iémen para acabar com o conflito e concentrar todos os esforços, longe da escalada militar, para combater o surto da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19)

O cessar-fogo, anunciado pela Aliança de Apoio à Legitimidade no Iémen vem apoiar o processo de paz liderado pelas Nações Unidas, e enquadra-se no apelo do Secretário-Geral da ONU para um cessar-fogo em toda a República do Iémen de modo a evitar os graves riscos de uma possível propagação do Covid-19 no país. Essa importante iniciativa, que traduz um sentido de responsabilidade, reflete uma perceção da seriedade do desafio que todos enfrentam atualmente e que exige solidariedade e compaixão para fazer frente à pandemia global do Coronavírus.

A iniciativa representa uma confirmação dos esforços contínuos do Reino da Arábia Saudita para a pacificação e concentrar os esforços no combate à pandemia do Covid-19 e no fornecimento de ajudas humanitárias ao povo iemenita irmão e sua proteção. O Reino da Arábia Saudita sempre procurou acabar com o conflito no Iémen através de uma solução política sustentável, tendo participado em todas as negociações patrocinadas pela ONU para alcançar um acordo político sob os auspícios das Nações Unidas,pondo fim ao conflito, e apelando às milícias houthis para demonstrar comprometimento e capacidade de resposta a essa iniciativa que representa uma rara oportunidade.

Partindo do interesse e compromisso do Reino com a saúde e a segurança do povo iemenita, a Arábia Saudita continuou a apoiar a ONU e, neste ano de 2020, ofereceu 500 milhões de dólares ao Plano de Resposta Humanitária da ONU no Iémen, além de 25 milhões de dólares para combater o surto da pandemia do Covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG