Brexit. "UE continua disponível, mas não convencida", avisa Donald Tusk

O presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, afirmou que a União Europeia (UE) permanece "disponível" para ouvir os britânicos, mas notou que o lado europeu "ainda não está convencido" com as propostas de saída apresentadas por Londres.

"Hoje recebi duas chamadas telefónicas relacionadas com o 'Brexit', primeiro de Dublin e depois de Londres", informa Donald Tusk através de uma publicação feita na sua conta oficial da rede social Twitter.

E concretiza: "A minha mensagem para Leo Varadkar [primeiro-ministro irlandês]: Apoiamos totalmente a Irlanda".

Já para o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, Tusk deixa um aviso: "Permanecemos disponíveis, mas ainda não convencidos".

Na quarta-feira, o Governo britânico divulgou a sua proposta de compromisso em relação à fronteira irlandesa para evitar uma saída da UE sem acordo a 31 de outubro, permitindo, segundo Londres, que não haja controlos alfandegários na fronteira.

O plano, que substitui o controverso 'backstop' (mecanismo de salvaguarda para a Irlanda) do anterior acordo, prevê que a Irlanda do Norte pertença à mesma zona aduaneira que o resto do Reino Unido, mas mantendo os regulamentos da UE durante um período de transição.

Reagindo ao documento após uma conversa telefónica com o primeiro-ministro britânico, o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, reconheceu em comunicado "avanços positivos, particularmente no que diz respeito ao completo alinhamento regulatório de todos os bens e do controlo dos bens provenientes da Grã-Bretanha que entrem na Irlanda do Norte".

No entanto, para Juncker "ainda existem alguns pontos problemáticos que exigirão um trabalho suplementar nos próximos dias, principalmente no que diz respeito à governança do 'backstop'", segundo a mesma nota.

Antes, na carta enviada pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, a Jean-Claude Juncker, o líder britânico sugeriu a "potencial criação de uma zona regulatória para toda a ilha da Irlanda, abrangendo todos os bens, incluindo agroalimentares".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG