EUA acusam Assange de conspirar com Chelsea Manning. Arrisca 5 anos de prisão

Polícia britânica deteve o fundador da WikiLeaks e há um pedido de extradição dos EUA, onde arrisca uma pena de cinco anos de prisão. Tribunal britânico considera-o culpado de violar as condições da sua fiança por não se ter apresentado à justiça em 2012, quando procurou asilo na embaixada do Equador.

Julian Assange, fundador da WikiLeaks, esta quinta-feira detido pelas autoridades britânicas, é acusado pela justiça norte-americana de ter conspirado com Chelsea Manning para a ajudar a descobrir uma password que lhe daria acesso a um computador do governo dos EUA em março de 2010.

Segundo o Departamento de Justiça de EUA, Assange ajudou Manning, antiga analista dos serviços de informação, a descobrir a password que permitia que ela acedesse aos computadores do Pentágono. Chelsea Manning foi condenada nos EUA por espionagem, depois de ter entregado milhares de documentos secretos à WikiLeaks, tendo visto a sua pena comutada pelo presidente Barack Obama em 2010. Em março voltou a ser detida por recusar testemunhar num caso contra a WikiLeaks.

Caso Manning tivesse conseguido o acesso à password, teria conseguido entrar no computador com um código de acesso diferente do seu. "Tal medida enganosa teria tornado mais difícil para os investigadores determinar a fonte das divulgações ilegais", segundo o comunicado do Departamento de Justiça.

Assange é acusado de "encorajar ativamente" Manning a dar mais informações. Numa conversa que ambos terão tido, de acordo com a mesma fonte, Manning disse a Assange que "depois deste upload, não tenho mais nada" e que este respondeu "olhos curiosos nunca secam, segundo a minha experiência".

Assange enfrenta uma pena máxima de cinco anos de prisão nos EUA, segundo o Departamento de Justiça.

O pedido de extradição será analisado a 2 de maio.

Culpado no Reino Unido

Presente a tribunal no Reino Unido, depois de ter sido detido esta manhã, Assange declarou-se inocente das acusações. Em causa está o facto de não se ter apresentado em tribunal em junho de 2012, depois de o Reino Unido ter aprovado a sua extradição para a Suécia -- que o queria interrogar por causa de um alegado crime de violação e agressão sexual, ocorrido em 2010.

O juiz Michael Snow considerou Assange culpado por não se ter apresentado em tribunal em 2012, quando procurou asilo político na embaixada do Equador. Por considerar o crime tão "sério", o juiz decide que será outro tribunal a decidir a sentença. O fundador da WikiLeaks pode ser condenado a uma pena que vai até um ano de prisão.

O juiz disse ainda que o comportamento de Assange "é o comportamento de um narcisista que não consegue superar o seu próprio interesse egoísta", segundo o relato feito pelo jornalista da BBC.

Exclusivos