"A pandemia derrubou-me." Mujica renuncia ao Senado e abandona política

Ex-presidente uruguaio tem 85 anos e disse que continuará a ser "conselheiro" dos companheiros de partido. Outro antigo chefe de Estado, Julio María Sanguinetti, um ano mais novo, seguiu-lhe o exemplo.

O ex-presidente do Uruguai, José "Pepe" Mujica (2010-2015), renunciou esta terça-feira ao seu lugar no Senado e abandonou definitivamente a política ativa. Mujica, que tem 85 anos e uma doença autoimune, disse que a pandemia de covid-19 precipitou a sua decisão.

"Esta situação obriga-me, com muito pesar por causa da minha profunda vocação política, a solicitar a minha renúncia ao lugar que os cidadãos me concederam", escreveu Mujica numa carta, lida numa sessão extraordinária no Senado.

"A pandemia derrubou-me", acrescentou aquele que ficou conhecido como o presidente mais pobre do mundo, defendendo ainda que a atividade parlamentar é muito intensa e por causa da covid-19 não conseguia responder da forma como lhe era pedido. Mujica disse que continuará a ser um "conselheiro" dos seus companheiros do Movimento de Participação Popular.

A mesma decisão de renunciar ao cargo foi tomada por outro ex-presidente uruguaio, Julio María Sanguinetti (1985-1990 e 1995-2000), de 84 anos. Este disse querer "trabalhar mais em política", sendo secretário-geral do Partido Colorado, além de colunista em vários jornais.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG