Polícia investiga familiar de Lula da Silva e obra feita em Angola

Uma empresa, ligada um sobrinho da ex-mulher de Lula da Silva, recebeu por uma obra em Angola "879 mil euros", quando o financiamento era de " 413 milhões de euros"

A Polícia Federal começou esta sexta-feira a investigar contratos da construtora brasileira Odebrecht com o empresário Taiguara Rodrigues dos Santos, sobrinho da primeira mulher do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que envolvem uma obra em Angola.

O comunicado da Polícia Federal refere apenas que a "Operação Janus" visa "verificar se contratos da Odebrecht com uma empresa do ramo de construção civil em nome de parentes de um ex-agente público foram utilizados para o pagamento de vantagens indevidas", mas a imprensa local avança que se trata do familiar do ex-chefe de Estado.

As entidades policiais investigam "a prática dos crimes de tráfico de influência e lavagem de dinheiro", segundo a polícia, que cumpre hoje "quatro mandados de busca e apreensão, duas conduções coercitivas [levar para depoimento] e cinco intimações" na cidade de Santos, no Estado de São Paulo.

A investigação, segundo o comunicado, "pretendia investigar se a construtora Odebrecht teria, entre os anos de 2011 e 2014, pago suborno em troca de facilidades na obtenção de empréstimos de interesse da multinacional junto ao BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento].

A polícia desencadeou esta operação para "esclarecer quais as razões para a Odebrecht ter celebrado contratos, entre 2012 e 2015, com uma empresa de construção civil de pequeno porte com sede em Santos para a realização de obras complexas em Angola", lê-se no texto.

Segundo a investigação, apenas pelos seus "serviços nas obras de reforma do complexo hidrelétrico de Cambambe", em Angola, a empresa recebeu "3,5 milhões de reais (879 mil euros)", embora a obra tenha recebido financiamento do BNDES de "464 milhões de dólares (413 milhões de euros)".

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG