Media Lab DN marca presença na semana de Erasmus+ da EB 2,3 de Vialonga

No último dia da visita dos estudantes do programa Erasmus+ à EB 2,3 de Vialonga, o Media Lab DN promoveu o workshop "Redação Século XXI".

As turmas do 9º ano uniram-se aos estudantes estrangeiros de França, Roménia, Letónia, Turquia e Áustria para um dia de atividades de literacia mediática.

Logo de manhã, os jovens tiveram a oportunidade de aprimorar os seus conhecimentos numa formação teórica. Durante a sessão foi abordada a importância de estar informado e formas de combater a desinformação, tal como ferramentas para identificar fake news e clickbait e ainda a perceção de como funciona o algoritmo quando utilizamos as redes sociais.

De seguida, os estudantes tomaram a dianteira da atividade, dividindo-se em dois grandes grupos para os workshops de Rádio e Vídeo. Em duas salas, os estudantes juntaram-se em trios para reescrever notícias previamente selecionadas pelos alunos portugueses e depois traduzidas em inglês, abordando uma de três adições: drogas, álcool ou tabaco.

Depois de reescritas, os alunos colocaram-se frente a frente ao microfone e à câmara (no caso dos estudantes de vídeo) e gravaram as suas notícias.

Após a pausa para o almoço, os grupos de rádio e vídeo foram desafiados a desenvolver um vox pop sobre a dependência tecnológica.

Numa caminhada em grupo pelas ruas de Vialonga, os jovens andaram com o microfone na mão à procura de entrevistados que pudessem responder a duas perguntas desenvolvidas anteriormente. A redação de rádio procurou respostas à questão: "Por que acha que as pessoas se tornam viciadas em tecnologia?" e a redação de vídeo à pergunta: "Como acha que podemos prevenir os efeitos viciantes da tecnologia?". Ambos os grupos também indagaram os entrevistados sobre se se consideravam, eles mesmos, viciados em tecnologia.

De regresso à escola, e com inúmeras respostas obtidas, o Media Lab recolheu os testemunhos dos estudantes sobre o dia de atividades mediáticas.

A componente informativa da sessão permitiu aos alunos ganharem novas ferramentas para as atividades práticas, como mencionou a estudante Polina Zarkova, da Letónia: "Foi muito informativo, aprendi como entrevistar pessoas, as partes técnicas da entrevista e também sobre adições."

Para a estudante romena Fuiorea Iulia Alexandra e para Mehmet Deniz Yılmaz, da Turquia, a possibilidade de gravarem as suas notícias para rádio e vídeo foram as suas partes favoritas do dia. Por outro lado, o jovem turco confessa que "a parte mais difícil e desafiadora foram as entrevistas", ao que Fuiorea Lulia Alexandra acrescenta que parte do desafio "foi encontrar pessoas que quisessem ser entrevistadas, porque (elas) estavam com medo".

O vox pop foi a atividade mais comentada pelos jovens. O estudante de Vialonga, Leonardo S., contou-nos a sua experiência: "Estivemos por volta de Vialonga, nas ruas, a perguntar a pessoas de diversas idades, desde idosos a pessoas mais novas, as suas opiniões e todas as pessoas no meu grupo entrevistaram. E no meu caso eu estive a fazer de tradutor".

A jovem Samanta Bajare, da Letónia, também enfatizou a atividade em grupo: "Eu gosto de conversar com pessoas, por isso foi uma boa experiência para perceber como tudo isto funciona".

Ainda houve tempo para saber qual o balanço que os Professores fizeram da sessão Media Lab DN e da importância deste intercâmbio entre os estudantes.

Somado à possibilidade de desenvolver as suas competências linguísticas, a Professora Paula Martins, que leciona a disciplina de inglês na Escola de Vialonga, menciona a oportunidade que "eles [os estudantes] estejam com colegas estrangeiros, comuniquem também e comecem a perceber o quão importante são todas estas competências sociais, não só linguísticas, o saber estar, o saber ser, o saber comportar-se."

Estas competências, somadas ao desenvolvimento do "pensamento crítico" e da "educação dos media", foram também abordadas pela Professora Rachel Pellizzari, de França. A docente sintetizou algumas das expectativas desta experiência para os seus estudantes: "O que eu espero é uma mente mais aberta, mais tolerantes, cidadania europeia e o prazer por aprender".

O Professor austríaco, Andreas Neyer, docente das disciplinas de inglês e geografia, explicou também a importância desta interação cultural no âmbito escolar: "conhecer pessoas de diferentes países, idiomas, ser parte da cultura escolar de outro país. Eu imagino ser um turista num país diferente, como Portugal, e de repente eles não são mais turistas, eles vão à escola durante uma semana. É uma oportunidade única."

O docente destacou ainda a importância dos conteúdos apresentados na formação teórica para a sociedade atual, nomeadamente sobre como manter-se bem informado: "é difícil para os jovens terem conhecimento para decidir o que é uma fonte confiável ou não. O que é uma fonte de forma geral? Quem publicou o artigo? É uma pessoa sentada em casa a escrever qualquer coisa no seu teclado ou é um órgão de comunicação? E essas habilidades são muito importantes de adquirir no século XXI".

O Media Lab DN na Escola e na Comunidade tem como objetivo promover a literacia mediática para os jovens e advertir para os perigos da desinformação. O projeto procura oferecer ferramentas aos estudantes de forma a obterem competências mediáticas nos diferentes formatos jornalísticos. Saiba como participar no site do projeto.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG