Jornalista que se suicidou em direto inspira dois filmes

Christine Chubbuck deu origem a duas longas-metragens em exibição no Festival de Sundance

A 15 de julho de 1974, a jornalista Christine Chubbuck, de um canal local na Flórida, EUA, olhou para a câmara e disse a seguinte frase: "Acompanhando a política do Channel 40 de trazer as últimas notícias de sangue e entranhas, ao vivo e a cores, vejam agora outra tentativa de suicídio". Pegou num revólver de calibre 38mm, escondido debaixo da mesa, e deu um tiro na cabeça.

A jovem que tirou a própria vida aos 29 anos serve agora de inspiração a dois filmes que estão em exibição no Festival de Cinema de Sundance, que decorre nos Estados Unidos até 31 de janeiro. Ambas as produções - Christine e Kate Plays Christine - procuram desvendar o porquê de a jornalista se ter suicidado e revelam detalhes da sua vida pessoal, como o facto de se ter apaixonado por um colega da estação televisiva, que namorava com outra mulher, e o facto de ter perdido um ovário devido a um quisto, reduzindo as suas hipóteses de engravidar.

Sabe-se ainda que Chubbuck, antes da fatal emissão, pediu aos colegas para gravar o seu segmento de notícias. Em Kate Plays Christine, os jornalistas em questão contam que apenas foi feita uma cópia dessa gravação, que a mesma ficou na posse do diretor do canal e que, atualmente, é a sua viúva que a tem. No entanto, o filme termina sem que essas imagens tenham sido obtidas, pelo que não há prova de que, de facto, ainda existam.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG