Antigo executivo do Facebook contra as redes sociais: "Estão a destruir o tecido social"

Para Chamath Palihapitiya, os ciclos viciosos de reações "estão a destruir a forma como a sociedade funciona"

Um antigo executivo do Facebook alerta para os perigos das redes sociais e lamenta ter participado no desenvolvimento de uma ferramenta que está a "destruir o tecido social" e a modificar o comportamentos dos humanos.

Chamath Palihapitiya, que se juntou ao Facebook em 2007 e chegou a ocupar a posição de vice-presidente para o crescimento de utilizadores, disse sentir uma "enorme culpa", numa conferência na Universidade de Stanford, nos EUA, em novembro, disponível no YouTube. E aconselhou os presentes a fazerem uma pausa nas redes sociais.

Para Palihapitiya, os ciclos viciosos de reações alimentados por esse mesmo incentivo de ter reações "estão a destruir a forma como a sociedade funciona", programando as pessoas sem que estas se apercebam. "Nenhum discurso cívico, nenhuma cooperação; desinformação, mentira. E não é um problema americano - não se trata de anúncios russos. Este é um problema global ", explicou, dando o exemplo de um linchamento na Índia, de sete inocentes, que foi motivado por informação falsa a circular na rede WhatsApp.

Palihapitiya foi mais longe e disse que filhos estão proibidos de usar redes sociais: "Não os deixo usar aquela merda". Isto apesar de reconhecer os esforços da empresa para gerar coisas positivas.

Palihapitiya dedica-se agora à sua própria empresa, a Social Capital, focada no financiamento de empresas em sectores como a educação e a saúde.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Daniel Deusdado

Estou a torcer por Rio apesar do teimoso Rui

Meu Deus, eu, de esquerda, e só me faltava esta: sofrer pelo PSD... É um problema que se agrava. Antigamente confrontava-me com a fria ministra das Finanças, Manuela Ferreira Leite, e agora vejo a clarividente e humana comentadora Manuela Ferreira Leite... Pacheco Pereira, um herói na cruzada anti-Sócrates, a voz mais clarividente sobre a tragédia da troika passista... tornou-se uma bússola! Quanto não desejei que Rangel tivesse ganho a Passos naquele congresso trágico para o país?!... Pudesse eu escolher para líder a seguir a Rio, apostava tudo em Moreira da Silva ou José Eduardo Martins... O PSD tomou conta dos meus pesadelos! Precisarei de ajuda...?

Premium

arménios na síria

Escapar à Síria para voltar à Arménia de onde os avós fugiram

Em 1915, no Império Otomano, tiveram início os acontecimentos que ficariam conhecidos como o genocídio arménio. Ainda hoje as duas nações continuam de costas voltadas, em grande parte porque a Turquia não reconhece que tenha havido uma matança sistemática. Muitas famílias procuraram então refúgio na Síria. Agora, devido à guerra civil que começou em 2011, os netos daqueles que fugiram voltam a deixar tudo para trás.