Diário de Notícias subiu no índice de confiança dos leitores

A percentagem de confiança dos portugueses no DN situa-se agora nos 77%, mais dois pontos percentuais face a 2020, segundo o relatório anual Reuters Digital News

O Diário de Notícias subiu dois pontos percentuais no índice de confiança dos leitores face ao ano anterior e mantém-se entre as marcas de media mais confiáveis em Portugal, segundo a edição deste ano do relatório anual Reuters Digital News Report, publicado esta quarta-feira.

De acordo com este relatório, a percentagem de confiança dos portugueses no DN situa-se agora nos 77%, mais dois pontos percentuais face a 2020, o que coloca o nosso jornal no top 5 das marcas de media com maior índice de fiabilidade no mercado português.

A confiança nas marcas do Global Media Group estende-se ao Jornal de Notícias, que ocupa a terceira posição desta lista, com 79% de confiança manifestada pelos portugueses, enquanto a TSF lidera entre as rádios, com 74%.

A RTP é a marca com a informação mais valorizada (81%) nesta lista, enquanto no extremo oposto se encontra o Correio da Manhã, jornal que apenas suscita confiança em 52% dos portugueses, contra 29% que dizem mesmo "não confiar" nas notícias do título da Cofina.

Confiança nas notícias a subir em Portugal

No geral, a confiança em notícias em Portugal subiu cinco pontos percentuais face a 2020 para 61%, acima da média no total de 46 países analisados, de acordo com o Reuters Digital News Report 2021 (Reuters DNR 2021).

"Entre as possíveis justificações para este aumento, há a destacar o papel preponderante da comunicação social na ajuda à interpretação e compreensão da vida em pandemia", refere o décimo relatório anual do Reuters Institute for the Study of Journalism (RISJ) e o sétimo relatório a contar com informação sobre Portugal.

"No conjunto dos 46 países em estudo, o valor médio deste indicador é de 44%, pelo que Portugal continua a apresentar valores francamente acima da média quando comparado com outros países, situação que se vem verificando ao longo dos anos e que não só não foi revertida pela crise pandémica como, pelo contrário, se intensificou, depois de vários anos em que a confiança em notícias registou valores mais baixos", lê-se no documento.

A Finlândia "continua a ser o país com os níveis mais altos de confiança geral (65%)" e os "Estados Unidos têm os níveis mais baixos (29%), refletindo uma eleição decisiva e as consequências do assassinato de George Floyd".

Relativamente a Portugal, "os dados mostram que aqueles portugueses que, em termos pessoais, foram mais afetados pela covid-19 também revelam maiores índices de confiança em conteúdos noticiosos" e estão também "mais preocupados com a legitimidade de conteúdos 'online'", lê-se no comunicado.

Sete em cada 10 portugueses afirmam-se preocupados com este tipo de conteúdos e com os seus efeitos.

"Os portugueses afirmam que a covid-19 é o tema sobre o qual mais encontraram conteúdos desinformativos", acrescenta.

Facebook e Youtube em queda

As redes sociais Facebook e Youtube registaram perdas de utilizadores em Portugal este ano, face a 2020, de acordo com o Reuters Digital News Report 2021 (Reuters DNR 2021), hoje divulgado.

"Ainda que o Facebook e Youtube continuem a ser as redes sociais mais utilizadas pelos portugueses que usam a Internet (73,2% e 65,6%, respetivamente), ambas as redes registam perdas de utilizadores face a 2020", refere o décimo relatório anual do Reuters Institute for the Study of Journalism (RISJ) e o sétimo relatório a contar com informação sobre Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG