Chicago. De cidade dos ventos a estúdio de televisão

Cada vez mais séries escolhem Chicago como cenário, casos de 'The Good Wife' ou 'Chicago Fire'. Arquitetura, espírito dos habitantes e parecenças com Nova Iorque são causas.

Chicago. "Cidade dos ventos". Cidade de Oprah Winfrey, da arquitetura, do basebol. Mas também, e cada vez mais, cidade da televisão. É aqui que se contam as histórias de muitas séries que, atualmente, fazem parte das trends mundiais. Falamos não só das óbvias Chicago Fire, Chicago P.D. e Chicago Med, mas também de The Good Wife, Shameless, Sense8, Mike & Molly ou até de clássicos como Serviço de Urgência e Roseanne.

Afinal, o que tem esta cidade de tão fascinante para a ficção? Segundo a revista Forbes, o facto de ter um ambiente muito semelhante ao de Nova Iorque, mas menos caótico, é fundamental. "Com edifícios altos e parques imaculados, não é surpreendente que Chicago esteja a seduzir a indústria de Hollywood e a tornar-se na Cidade Estúdio: tem o espírito de grande cidade, como Nova Iorque, mas com menos ruas reconhecíveis, menos multidões e menos competidores a lutar por um espaço nos estúdios ou por licenças".

A arquitetura e o espírito de quem lá vive são outros dos traços basilares, sublinha ao DN o arquiteto Ahmed Belkhodja, do Fala Atelier, no Porto, que realizou a sua tese de mestrado sobre esta cidade. "Os edifícios e as paisagens são fascinantes porque Chicago é a verdadeira metrópole americana. Nova Iorque, em comparação, é uma cidade muito internacional, mas Chicago é tipicamente americana, composta por pessoas de todos os lados dos EUA. Os seus edifícios fortes, imponentes e de longas arestas dão-lhe identidade", frisa.

A Forbes concorda e acrescenta: "Chicago tem um espírito citadino vívido e único que consegue ganhar dimensão no enredo de uma série e dar profundidade às suas personagens". Os "Chicagoans" (residentes da cidade), como a publicação os descreve, são, aliás, "conhecidos pelo seu carácter: uma mistura de sensibilidade centro-ocidental, sofisticação urbana e entusiasmo único". "Tudo isso dá um toque de frescura, em comparação com as personagens de TV mais convencionais, como os poderosos empresários de Nova Iorque ou os espíritos-livres da Califórnia".

Êxitos mais recentes na TV

Falar das séries que têm Chicago como cenário privilegiado implica, obrigatoriamente, começar por aquelas que o exibem no seu bilhete de identidade. As "primas" Chicago Fire (focada na equipa de bombeiros da cidade) e Chicago P.D. (sobre as forças policiais) são duas das mais fortes apostas da NBC nos últimos anos e que, por sinal, se "tornaram hits ", relembra a Forbes. Lançadas em 2012 e 2014, respetivamente, as tramas receberam recentemente renovação para novas temporadas -Fire está a preparar a quarta e P.D. a terceira - e, curiosamente, em novembro de 2015, tiveram direito a um novo spinoff: Chicago Med, que acompanha a equipa de urgências do Hospital Gaffney. Por cá, todas elas são transmitidas pelo TV Séries.

E para além de ter atraído as equipas de produção de talk shows do daytime como The Oprah Winfrey Show ou Top Chef, Chicago é hoje, mais do que nunca, uma presença forte no horário nobre americano, através de séries como The Good Wife (êxito do canal CBS sobre a empresa de advocacia de Alicia Florrick), Shameless (drama do canal Showtime que segue Frank Gallagher, pai solteiro de seis filhos) ou Sense8 (aposta do Netflix sobre oito pessoas, de diferentes partes do mundo, que de um momento para o outro ficam mental e emocionalmente ligadas).

É imperativo termos também em conta Empire, o mais recente sucesso do canal Fox que, apesar de ficcionalmente se desenrolar em Nova Iorque, é, na verdade, filmado nas ruas de Chicago.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG