Sociedade de Garantia Mútua estabelece fundo de 10ME para projetos de empresas madeirenses

Quarenta projetos de investimento de empresas madeirenses foram hoje "automaticamente desbloqueados", com a assinatura de um acordo entre o Governo Regional e a Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua, que estabeleceu um fundo de apoio de 10 milhões de euros.

O novo instrumento financeiro visa "apadrinhar" todos os projetos desenvolvidos no âmbito de programas comunitários inseridos no quadro Madeira 14/20, nomeadamente o Valorizar 2020, o Empreender 2020 e o Internacionalizar 2020.

"Não chega às empresas apresentar candidaturas e não chega, por parte do Instituto de Desenvolvimento Empresarial, fazer a análise positiva e dar a concordância de execução dos projetos", explicou o vice-presidente do Governo Regional, Pedro Calado, sublinhando que as empresas têm de prestar garantias bancárias, o que nem sempre obtêm.

O acordo estabelecido com a Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua concede uma nova cobertura financeira às pequenas e médias empresas de todos os setores de atividade da Região Autónoma da Madeira, sendo que quatro dezenas de projetos foram hoje "automaticamente desbloqueados".

"Vivemos um período de muito facilitismo, onde as grandes empresas nacionais e entidades públicas fizeram mau uso do crédito disponível, desviando e esgotando verbas do sistema financeiro português, prejudicando a grande maioria das empresas do tecido empresarial, as pequenas e médias", afirmou Pedro Calado.

O governante explicou que, por isso, o executivo regional foi forçado a procurar outros mecanismos financeiros, como este fornecido pela Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua.

Pedro Calado garante que o fundo de 10 milhões de euros vai "facilitar a vida" das empresas que têm projetos de investimento em execução, mas que têm dificuldades em apresentar garantias bancárias.

"As garantias são prestadas para facilitar a obtenção de condições de crédito melhores e mais adequadas aos seus investimentos", disse, por seu lado, a presidente da Sociedade Portuguesa de Garantia Mútua, Ana Beatriz Freitas, vincando que a parceria com o Governo Regional é de "excelência".

A responsável indicou, também, que o novo acordo permitirá prestar garantias autónomas, o que é uma novidade na região.