Rejeição da abolição de portagens na A23 e A25 demonstra desprezo pelo interior -- Sindicatos

A União dos Sindicatos de Castelo Branco (USCB) afirmou hoje que a rejeição das propostas para a abolição das portagens na A23 e na A25 é uma "demonstração do desprezo" pelo interior do país.

"Esta votação negativa não nos fará esmorecer. Sempre dissemos e reafirmamos que uma proposta de resolução serve de pressão politica sobre o Governo, mas o seu efeito é limitado já que mais não é que uma recomendação ao Governo", refere, em comunicado, a USCB.

O parlamento chumbou na sexta-feira os projetos de resolução do PCP, BE e PEV, que recomendavam a eliminação das portagens nas autoestradas A23, A24 e A25 e também na A22, mais conhecida por Via do Infante, no Algarve.

Em relação à eliminação de portagens na A23, os projetos foram igualmente votados em conjunto, tendo sido rejeitados, com votos contra do PS e do deputado não inscrito Paulo Trigo Pereira, abstenção do PSD, CDS-PP e três deputados socialistas, e a favor do BE, PEV, PCP e 14 deputados do PS.

Edite Estrela, ex-dirigente socialista, e a ex-secretária de Estado Margarida Marques votaram a favor da eliminação das portagens na A23, autoestrada da Beira Interior, uma das vias de acessibilidade estruturantes e estratégica para toda a mobilidade nos distritos de Santarém, Portalegre, Castelo Branco e Guarda.

"A União dos Sindicatos de Castelo Branco considera que a rejeição da proposta do PCP para a abolição das portagens na A23 e na A25 por parte do PS, PSD e CDS, coligados na Assembleia da República, constitui mais uma demonstração do desprezo que estes partidos do centrão dos negócios e dos interesses têm para com o interior do país", lê-se na nota.

Os sindicalistas sublinham que a votação no parlamento é "absolutamente irrelevante" e adiantam que não os fará recuar um milímetro na luta que têm travado pela abolição das portagens na A23 e na A25.

"Esta votação reforça a importância da ação pública convocada pela Plataforma Pela Reposição das Scut na A23 e na A25 para o próximo dia 16 de fevereiro, pelas 15:30, na Cidade de Castelo Branco", sustentam.

A USCB promete levar "esta luta até ao voto", já nas próximas eleições para o Parlamento Europeu.

"Não apelamos ao voto neste ou naquele partido, mas não nos esqueceremos de denunciar aqueles que criaram as portagens e aqueles que as mantiveram e nunca quiseram reunir com a Plataforma Pela Reposição das SCUT", concluem.

A USCB é uma das sete entidades dos distritos de Castelo Branco e da Guarda que integram a Plataforma, juntamente com a Associação Empresarial da Beira Baixa, a Comissão de Utentes Contra as Portagens na A23, o Movimento de Empresários pela Subsistência pelo Interior, a Associação Empresarial da Região da Guarda, a Comissão de Utentes da A25 e a União de Sindicatos da Guarda.

Ler mais

Exclusivos

Premium

Anselmo Borges

Islamofobia e cristianofobia

1. Não há dúvida de que a visita do Papa Francisco aos Emirados Árabes Unidos de 3 a 5 deste mês constituiu uma visita para a história, como aqui procurei mostrar na semana passada. O próprio Francisco caracterizou a sua viagem como "uma nova página no diálogo entre cristianismo e islão". É preciso ler e estudar o "Documento sobre a fraternidade humana", então assinado por ele e pelo grande imã de Al-Azhar. Também foi a primeira vez que um Papa celebrou missa para 150 mil cristãos na Península Arábica, berço do islão, num espaço público.

Premium

Adriano Moreira

Uma ameaça à cidadania

A conquista ocidental, que com ela procurou ocidentalizar o mundo em que agora crescem os emergentes que parecem desenhar-lhe o outono, do modelo democrático-liberal, no qual a cidadania implica o dever de votar, escolhendo entre propostas claras a que lhe parece mais adequada para servir o interesse comum, nacional e internacional, tem sofrido fragilidades que vão para além da reforma do sistema porque vão no sentido de o substituir. Não há muitas décadas, a última foi a da lembrança que deixou rasto na Segunda Guerra Mundial, pelo que a ameaça regressa a várias latitudes.