Concelhias do PS de Bragança manifestam apoio a presidente da federação

Nove das 12 concelhias do PS de Bragança divulgaram hoje uma posição conjunta de apoio ao líder da federação distrital depois das críticas do presidente demissionário da concelhia de Bragança.

O presidente da maior concelhia, André Novo, demitiu-se a 17 de janeiro, a meio do mandato, alegando estar em desacordo com "as opções políticas" do presidente da federação distrital, Jorge Gomes, a quem acusa de "falta de influência política e de voz" junto do Governo.

Estas acusações são consideradas "injustas e infundadas" pelas presidentes das concelhias de Carrazeda de Ansiães, Freixo de Espada à Cinta, Macedo de Cavaleiros, Miranda do Douro, Mogadouro, Torre de Moncorvo, Vila Flor, Vimioso e Vinhais. O documento com a posição conjunta não é subscrito pelas concelhias de Bragança, Mirandela e Alfândega da Fé.

As nove concelhias assinalam "a permanente disponibilidade e empenho por parte do presidente da federação distrital do PS, sempre que solicitado pelas bases, no envolvimento em todas as questões locais e regionais, bem como no estabelecimento de pontes com o governo para a resolução de problemas e preocupações das concelhias".

Destacam "o trabalho contínuo que tem vindo a ser desenvolvido entre a federação e as estruturas concelhias na prossecução do crescimento do partido no distrito" e louvam "a forma determinada" como Jorge Gomes, que é também deputado, "tem defendido os interesses dos concelhos e da região junto do governo central".

Os subscritores vincam a "vontade e motivação para continuar o trabalho conjunto em prol do desenvolvimento" dos respetivos concelhos e da região e afirmam o "empenho nos próximos momentos eleitorais, nomeadamente as eleições europeias e legislativas que irão ter lugar no presente ano".

Os presidentes das nove concelhias afirmam "de forma inequívoca e incondicional, o seu apoio e confiança politica ao presidente da federação distrital e deputado do Partido Socialista pelo distrito de Bragança, Jorge Gomes".

O presidente da concelhia de Bragança, André Novo, pediu a demissão a 17 de janeiro e ainda não está definido se vai haver eleições intercalares ou se outro membro da concelhia assume o lugar.

Junto com o presidente, demitiram-se também os membros do secretariado.

André Novo afirmou que não irá recandidatar-se "enquanto não houver alteração na liderança da distrital", concretizando que discorda "das opções políticas e só políticas" de Jorge Gomes.

"Em várias reuniões, o presidente da federação diz que tem linha direta para o primeiro-ministro e influência política, mas depois acontecem coisas como, por exemplo, o plano de investimentos nacional [sem investimentos para a região] e diz que não foi bem conseguido", declarou, aquando da demissão.

O presidente da federação, Jorge Gomes, reagiu "com alguma surpresa" a esta decisão, que entendeu ser "a vida de um partido", e escusou-se a comentar "as considerações" que fez André Novo, afirmando que "para quem pensa que tem peso, peso tem o povo e, neste caso, é o PS que está em causa e em primeiro lugar".

Lusa

Ler mais

Exclusivos

Premium

Benfica

Benfica. Os jogadores com mercado, a garantia de Vieira e a folga financeira

A época terminou, o Benfica conquistou o 37.º título da sua história e em breve vão começar as movimentações do mercado. João Félix é o jogador mais cobiçado, mas há também Rúben Dias, Grimaldo e outros. Se prevalecer a palavra de Vieira, nenhum dos miúdos formados em casa sairá por menos da cláusula de rescisão. Será mesmo assim?