Governo português propõe acordo de cooperação com Nova Iorque

Nova Iorque, 10 mai 2019 (Lusa) -- O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, propôs hoje um acordo de cooperação às autoridades da cidade de Nova Iorque, para que as comunidades portuguesas possam utilizar mais espaços públicos para a realização de atividades.

O governante português iniciou hoje uma visita de uma semana aos Estados Unidos da América, tendo acrescentado, em declarações à Lusa, que à semelhança de outros acordos feitos com municípios na Alemanha, Austrália, Brasil, Canadá e França, o objetivo é "abrir as instituições", e associações municipais desportivas, culturais, recreativas e cívicas, "às manifestações de igual natureza dos portugueses" que vivem em Nova Iorque.

Em declarações à Lusa, José Luís Carneiro avançou que será criado um prémio internacional de integração de imigrantes portugueses, no âmbito das cidades que mantêm acordos de cooperação com Portugal.

"Quando tivermos esta rede de cidades e de municípios estabelecida, gostaríamos de poder lançar um prémio para sinalizar, para valorizar as melhores práticas de integração dos migrantes portugueses nas suas instituições", disse José Luís Carneiro.

A proposta, avançada hoje numa reunião com o gabinete de Assuntos Internacionais do Conselho da Cidade de Nova Iorque, baseia-se em estabelecer um protocolo de cooperação ou memorando de entendimento e persegue a "tentativa de desenvolvimento de uma diplomacia de cidades".

A experiência já é vasta, segundo o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, depois de terem sido realizadas muitas exposições de fotografia, pintura, conferências, seminários e na utilização de equipamentos desportivos ou escolares para atividade das comunidades portuguesas.

Para o governante, há "um entendimento de que as diásporas, e portanto, os cidadãos migrantes são um fator de compreensão, de paz, desenvolvimento e afirmação internacional" de Portugal no mundo.

Com estes acordos de cooperação, Portugal pretende passar uma mensagem de que "os poderes locais democráticos e as cidades, a pólis, constitui o mais importante espaço de descoberta, de compreensão e de integração e incorporação da cidadania dos valores universais".

José Luís Carneiro sublinhou a importância de um acordo para a cooperação, sendo Nova Iorque uma das cidades mais cosmopolitas e diversificadas do ponto de vista étnico, religioso, racial, de igualdade de género e cultura da paz e uma cidade que "procura integrar essa diversidade com um código de valores fundamental".

O secretário de Estado encontra-se nos Estados Unidos até 16 de maio para promover o ensino do português nas escolas norte-americanas e a defesa de interesses de Portugal nos Estados Unidos

A agenda inclui encontros com lusodescendentes em cargos federais, estaduais ou autárquicos nos EUA, o encontro com associações portuguesas e comunidades nos Estados de Nova Iorque, Nova Jérsia, Connecticut, Massachusetts e Califórnia.

Os encontros com associações acontecem depois de terem sido aprovados apoios financeiros do Estado português às instituições de representação e emigrantes.

Dados facultados pelo Ministério dos Negócios Estrangeiros à Lusa indicam que a maior parte dos portugueses imigrados nos Estados Unidos estabelecem-se nos estados da Califórnia (25%) e Massachusetts (20%).

Rhode Island recebe 7% dos imigrantes portugueses, Florida e Nova Jérsia são Estados anfitriões para 6% dos portugueses (cada) enquanto Nova Iorque, Connecticut e Hawaii englobam 4% dos emigrantes cada.

No que respeita as atividades desenvolvidas pelos portugueses nos Estados Unidos, dados daa autoridades norte-americanas indicam que os principais setores empregadores pertencem às áreas dos serviços de educação, saúde e assistência social (23,4%), comércio e retalho (11,1%), manufatura (9,3%), hotelaria e restauração (9,1%), construção civil (8%) e setor financeiro, de seguros e mercado mobiliário (6,9%).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG