Europa em destaque no Festival Política a partir de quinta-feira em Lisboa

Lisboa, 23 abr 2019 (Lusa) -- A Europa é o tema central da 3.ª edição do Festival Política, que decorre entre quinta-feira e domingo em Lisboa, porque "era impossível" não falar sobre ela, "no estado em que está e em ano de eleições europeias".

"Vamos falar sobre aquilo que é mais óbvio, a Europa que está a ser inundada por populismos e por todas as ameaças àquilo que são os direitos humanos fundamentais", afirmou Bárbara Rosa, da organização do festival, em declarações à Lusa, lembrando que o velho continente "sempre foi um bom palco da sua defesa e da sua materialização [dos Direitos Humanos], sempre com violações".

Recordando uma expressão do filósofo francês Bernard-Henri Lévy -- "a casa Europa está a arder" -, Bárbara Rosa referiu que o festival "pretende contribuir para não deixar alastrar esse fogo".

Entre quinta-feira e domingo, no cinema São Jorge, haverá "'talks', debates, exposições, performances, música, cinema, atividades para crianças e até visitas guiadas", uma estreia no festival.

As visitas, agendadas para sábado e domingo de manhã, serão "a dois bairros que vivem no estigma de não serem muito bem vistos por quem não vive lá". A visita "As costas da cidade" leva os participantes até aos bairros do Casal do Pinto e do Portugal Novo, na zona das Olaias, onde dantes existia o bairro da Curraleira, bairro de lata que desapareceu em 2001.

Com "mais de 30 conteúdos" ao longo dos quatro dias, destacar algum "é sempre ingrato". "Porque achamos que tudo o que aqui está [no programa] é igualmente importante, mas sabemos que há formas de abordar a política que podem ser mais atrativas como é o caso do humor", disse Bárbara Rosa, referindo-se à iniciativa "Isto só neste país", com o humorista Hugo van der Ding, agendada para sexta-feira às 21:30.

O Festival Política pretende "discutir a Democracia com os cidadãos, convidando-os a pensar politicamente". "Porque para nós tudo é política, e é por isso que fugimos às formas tradicionais de abordar a política, embora tenhamos debates, mas não são no modelo convencional a que estamos habituados. A ideia é interpelar o cidadão, questionar, e pormo-nos todos nesta reflexão que tem de ser global para contribuir para que esta Democracia não adoeça ainda mais, quer a nível nacional, quer a nível europeu. Podemos falar noutras escalas, mas é isso que nos interessa", afirmou Bárbara Rosa.

A iniciativa serve também para "dar palco a quem não tem, dar alguma projeção a vozes que nem sempre são ouvidas".

Nesse âmbito, na quinta-feira às 18:00, realiza-se o concerto, performance e debate "O 25 de Abril continua aqui", "com os protagonistas que não costumam ter palco", que tem curadoria do investigador em Estudos Urbanos António Brito Guterres, que, nos últimos anos, tem desenvolvido trabalhos em vários bairros da periferia de Lisboa.

"Vamos ter um 25 de Abril com gente que não costuma descer a avenida, que nem sequer costuma vir ao São Jorge ou para o centro da polis, apesar de viver aqui tão perto do centro", sublinhou Bárbara Rosa.

E como o festival pretende também "combater a apatia cívico-política prestando informação e tentando aproximar os cidadãos da política e dos seus protagonistas", haverá, à semelhança das edições anteriores, um 'cara a cara com deputados', "este ano com os candidatos às eleições ao Parlamento Europeu".

A iniciativa, marcada para sábado às 17:00, é "um 'speed dating' em que os cidadãos, previamente inscritos por email, vão ter possibilidade de estar com um ou mais políticos, ou candidatos a políticos, neste caso, para poderem durante cinco minutos colocar as questões, falarem com eles, subordinado ao tema do festival, Europa".

A organização endereçou convites às "17 candidaturas ao Parlamento Europeu".

Todas as atividades têm entrada livre, estando algumas sujeitas a inscrição prévia, através do endereço festivalpolitica@gmail.com. A programação completa do Festival Política pode ser consultada em www.festivalpolitica.pt.

O festival, um conceito da Associação Isonomia, insere-se do programa "Abril em Lisboa", da empresa municipal que gere os equipamentos culturais de Lisboa (EGEAC), que se realiza para assinalar os 45 anos do 25 de Abril de 1974.

Depois de Lisboa, o festival segue para Braga (entre 09 e 11 de maio), onde este ano a representação da Comissão Europeia em Portugal organiza as comemorações do Dia da Europa, e Évora (entre 30 de maio a 01 de junho).

Embora em Évora o festival se realize já depois das eleições europeias, "a Europa é sempre palco de discussão" e ainda é preciso "ver o que vai surgir nestas eleições".

Exclusivos