Stoltenberg: "Espero que líderes concordem com grande reforço militar na parte oriental da aliança"

O secretário-geral da NATO acusa Putin de usar uma retórica "irresponsável e perigosa" sobre a ameaça nuclear.

O secretário-geral da NATO vai propor esta quinta-feira aos aliados para disponibilizarem mais meios militares para reforçar a presença de tropas no leste da Europa.

Os novos batalhões da NATO serão dirigidos para a "Bulgária, Hungria, Roménia e Eslováquia", adiantou Jens Stoltenberg. O secretário-geral da Aliança Atlântica falava em Bruxelas, na véspera da cimeira extraordinária.

Na antevisão do encontro, Jens Stoltenberg acusou Putin de usar um discurso "irresponsável" sobre a ameaça nuclear que deve "parar de imediato".

"A Rússia deve parar com as ameaças nucleares. Isso é perigoso e é irresponsável", afirmou Stoltenberg, reiterando que a NATO mantém-se em alerta com milhares de tropas junto às fronteiras externas da aliança prontos para responder a qualquer ameaça.

"Cem mil tropas norte americanas na Europa e 40 mil tropas no comando direto da NATO, maioritariamente na parte leste da Aliança", vincou Jens Stoltenberg, adiantando que vai propor aos aliados um reforço de meios militares.

"Na cimeira de amanhã vamos adotar novas decisões. Espero que os líderes concordem em fortalecer a postura da NATO, em todos os domínios, com grandes aumentos das nossas forças na parte oriental da aliança, em terra, no ar e no mar", afirmou Stoltenberg, especificando que os meios visam, desde já, reforçar a presença a leste.

O primeiro passo é a implantação de quatro novos batalhões da NATO na Bulgária, Hungria, Roménia e Eslováquia. Praticamente um mês desde o início do conflito, na véspera de uma cimeira extraordinária, o secretário geral da NATO reiterou o apelo para a Rússia "parar de imediato a agressão militar contra a Ucrânia, e permitir a passagem ininterrupta de corredores humanitários"

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG