Papa Francisco já teve alta, 10 dias depois de ser operado

A 4 de julho, o Papa Francisco, de 84 anos, submeteu-se a uma operação ao intestino. "Nestes dias de hospitalização, experimentei a importância de um bom serviço de saúde, acessível a todos", afirmou antes de ter alta hospitalar.

O Papa Francisco deixou, esta quarta-feira, o hospital em Roma, onde estava internado após ter sido submetido a uma operação ao intestino, a 4 de julho, de acordo com o jornal Il Messaggero.

O Santo Padre deixou o Hospital Universitário Gemelli e foi para o Vaticano num carro com vidros escuros, de acordo com o relato de um fotógrafo da AFP.

O chefe da Igreja Católica, de 84 anos, foi submetido a uma cirurgia devido a "uma estenose diverticular grave, com sinais de diverticulite", tendo parte do intestino sido removida, numa intervenção que exigiu anestesia geral.

"Nestes dias de hospitalização, experimentei a importância de um bom serviço de saúde, acessível a todos, como o da Itália e de outros países. Um sistema de saúde que garante um bom serviço acessível a todos", disse o Papa antes de rezar o Ângelus, no domingo passado​​​.

Na varanda do hospital, Francisco pediu a manutenção de um sistema de saúde de qualidade acessível e "gratuito" para todos.

De acordo com o Il Messaggero, o Papa utilizou o seu automóvel habitual quando deixou esta manhã a unidade hospitalar. Inicialmente, a alta estava prevista para domingo, mas por precaução os médicos decidiram que deveria ficar internado mais uns dias.

O Papa Francisco deu entrada no hospital após a oração dominical do Angelus, no dia 4, quando anunciou aos fiéis reunidos na Praça de São Pedro do Vaticano a sua próxima viagem à Hungria e Eslováquia, de 12 a 15 de setembro.

Segundo o porta-voz do Vaticano, Matteo Bruni, a cirurgia a uma estenose diverticular já estava programada e durou cerca de três horas.

Esta foi a primeira hospitalização conhecida do Papa desde que foi eleito para líder máximo da Igreja Católica, em 2013.

Com Lusa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG