Nuvem de dióxido de enxofre do vulcão de La Palma atinge Península Ibérica

A intrusão de dióxido de carbono "estará a ocorrer sobretudo acima dos 3000 metros de altitude, não afetando por isso as concentrações deste gás à superfície", indica o IPMA, que está a acompanhar de perto a situação.

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) fez saber que uma nuvem de dióxido de enxofre, proveniente do vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola La Palma, nas Canárias, atingiu a Península Ibérica.

A informação divulgada pelo IPMA, em comunicado publicado no site na terça-feira, é feita com base nas "previsões do modelo do Serviço de Monitorização Atmosférica do programa Copernicus (CAMS)", que indicam que "uma intrusão de dióxido de enxofre (SO2) com origem na erupção do vulcão Cumbre Vieja estará a progredir sobre a Península Ibérica".

Explica o IPMA que a intrusão de dióxido de enxofre "estará a ocorrer sobretudo acima dos 3000 metros de altitude, não afetando por isso as concentrações deste gás à superfície".

Prevê-se que este episódio se prolongue até pelo menos sexta-feira (15 de outubro). O IPMA assegura que está a acompanhar "de perto a evolução da situação".

O Cumbre Vieja entrou em erupção a 19 de setembro e a lava que tem vindo a expelir já atingiu, pelo menos, 656 hectares da ilha La Palma, tendo sido destruídos mais de 1400 edifícios, de acordo com os dados mais recentes do sistema europeu de satélites de monitorização terrestre Copernicus.

Devido à previsão de avanço da lava do vulcão Cumbre Vieja para noroeste e a sua proximidade do limite do perímetro já evacuado, as autoridades da ilha espanhola ordenaram, na terça-feira, a evacuação de diversas zonas da ilha das Canárias.

Cerca de 800 pessoas abandonaram as suas casas, localizadas em vários núcleos populacionais na zona de La Laguna.

"Não há indicadores que façam prever que estamos perto do fim deste vulcão"

O presidente do Governo das Canárias, Ángel Víctor Torres, agradeceu a atitude cívica dos cidadãos de La Palma, que, na sua opinião, tem sido exemplar.

Em conferência de imprensa, o governante fez saber que não há previsões quanto ao fim da atividade do Cumbre Vieja.

"Não há indicadores que façam prever que estamos perto do fim deste vulcão", afirmou o presidente do Governo das Canárias. Aos jornalistas disse, aliás, que as emissões de dióxido de enxofre nas últimas 24 horas foram superiores ao registado nos últimos dias.

"A única boa notícia é que não temos de lamentar os danos pessoais, mas é verdade que os danos materiais vão ser consideráveis", admitiu o responsável.

De acordo com o Instituto Geográfico Nacional (IGN), o número de sismos registados em La Palma "diminuiu muito" nas últimas 24 horas.

Relatório indica que foram registados, neste período de tempo, 66 sismos na área afetada pela atividade vulcânica, dos quais seis foram sentidos pela população. O terramoto de maior magnitude (3,9), localizado a 37 quilómetros de profundidade, foi registado na madrugada desta quarta-feira, às 03:22.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG