Desentendimento entre talibãs por causa da estrutura do governo

Abdul Ghani Baradar, novo vice-primeiro-ministro do Emirado Islâmico do Afeganistão, e Khalil Haqqani, ministro dos refugiados, ter-se-ão desentendido no final da semana passada e trocado palavras fortes em pleno palácio presidencial, noticia a BBC.

Os ânimos ter-se-ão exaltado entre líderes talibãs em pleno palácio presidencial, em Cabul, poucos dias depois de ter sido estabelecido um novo governo no Afeganistão. De acordo com a BBC, aconteceu, no final da semana passada, uma discussão acalorada entre Abdul Ghani Baradar, cofundador do movimento e novo vice-primeiro-ministro do Emirado Islâmico do Afeganistão, e Khalil Haqqani, ministro dos refugiados, ao mesmo tempo que, nas ruas, apoiantes das duas fações se confrontavam.

Os talibãs negam estas informações, avançadas pelo serviço da BBC em língua afegã e replicadas pela BBC britânica.

A discussão entre os dois líderes talibãs terá acontecido por discordância relativamente à composição do novo governo provisório mas também por causa dos créditos quanto à vitória dos talibãs no Afeganistão. De acordo com a notícia da BBC, Abdul Ghani Baradar - que foi o primeiro talibã a comunicar diretamente com um presidente dos EUA, numa conversa telefónica com Donald Trump, em 2020, e que assinou o acordo de Doha sobre a retirada das tropas norte-americanas - acredita no poder da diplomacia. Já Khalil Haqqani acredita que a vitória dos talibãs se deve sobretudo aos combates.

Os rumores sobre este desacordo têm vindo a crescer desde o final da semana passada, sobretudo depois de Abdul Ghani Baradar ter desaparecido. Surgiram suspeitas de que poderia estar morto, mas fontes dos talibãs disseram à BBC que ele teria deixado Cabul e viajado para a cidade de Kandahar após a discussão. Surgiu também uma gravação - cuja veracidade não pode ser confirmada - em que Baradar dizia estar bem e em viagem.

Os talibãs garantem que Baradar está bem.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG