Biden assina documentos que ratificam adesão de Finlândia e Suécia à NATO

"A nossa aliança está mais unida do que nunca", afirmou o presidente dos Estados Unidos, antes de rubricar os documentos.

Os Estados Unidos aprovaram esta terça-feira a adesão da Finlândia e Suécia à NATO, com o presidente Joe Biden a assinar os documentos que ratificam essa decisão.

"A nossa aliança está mais unida do que nunca", afirmou o governante, antes de rubricar os documentos.

Na semana passada, a entrada dos dois países nórdicos foi aprovada pelo Senado norte-americano, com 95 votos a favor e um contra. O senador republicano dos EUA, Josh Hawley, foi o único que votou contra a entrada dos nórdicos, defendendo que "a expansão implicará novas obrigações para os Estados Unidos" e que o país deve focar-se na Ásia, para combater a crescente ameaça chinesa.

Suécia e Finlândia, motivadas pela invasão russa, entregaram os seus pedidos de adesão em 18 de maio.

Os líderes da Aliança Atlântica concordaram, na sua cimeira em Madrid no final de junho, em iniciar o processo de adesão dos dois países.

A Turquia vetou inicialmente a entrada destes, exigindo mais cooperação na luta contra as organizações descritas como terroristas por Ancara, embora finalmente tenha chegado a um acordo com a Suécia e a Finlândia, que foi mediado pelo secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg.

A entrada da Suécia e da Finlândia permitirá à NATO ter corredores marítimos e aéreos alternativos de apoio aos países bálticos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG