Submarino russo deixa o Mediterrâneo e atravessa costa portuguesa rumo ao Báltico

Rússia forçada a reduzir submarinos no Mediterrâneo apesar do risco de escalada na Ucrânia

DN
© Twitter / Michael J Sanchez

Um submarino da Marinha Russa saiu do Mediterrâneo e atravessou o estreito de Gibraltar, rumando a águas do Atlântico, acompanhado por um rebocador de mar. De acordo com fontes militares, o submarino da classe KILO deve atravessar neste momento a costa portuguesa rumo ao Báltico, onde deverá ser submetido a manutenção.

Esta retirada, numa altura em que sobe o risco de uma escalada de guerra na Ucrânia e aumenta o braço-de-ferro com a NATO, deixa a Rússia com apenas um submarino KILO no Mediterrâneo depois de em agosto também o cruzador da classe SLAVA Marechal Ustinov ter deixado a região.

A explicação mais provável para a partida do submarino é ele precisar de manutenção, pois não há instalações com capacidade suficiente em Tartus, na Síria, onde está sediado. Segundo o site especialista em matéria de Defesa hisuitton.com o submarino em questão será o Krasnodar , que está no Mediterrâneo há mais de um ano, desde agosto de 2021.

Esperava-se que o Krasnodar fosse para o Mar Negro após uma escala na Síria, mas como a Turquia fechou a passagem no Bósforo, que liga o Mediterrâneo ao Mar Negro, aos navios de guerra, o submarino russo teve de ficar em águas do Mediterrâneo após a invasão da Ucrânia pela Rússia.

Recorde-se que em agosto passado, as Forças Armadas portuguesas acompanharam dois navios de guerra russos no mar português, com destino ao Mediterrâneo, o que o Estado-Maior General das Forças Armadas considerou ser "um procedimento normal, sempre que navios de guerra de países que não pertencem à NATO navegam dentro da ZEE portuguesa".