Restos humanos encontrados em malas vendidas num leilão na Nova Zelândia

Restos mortais foram encontrados por uma família dentro de malas, depois de terem ganho uma licitação num leilão de unidades de armazenamento.

DN/AFP
© Diego OPATOWSKI / AFP

A polícia da Nova Zelândia iniciou uma investigação de homicídio depois de terem sido alegadamente encontrados restos humanos escondidos em malas que foram compradas num leilão na maior cidade do país, Auckland.

Acredita-se que um número não revelado de restos mortais tenha sido armazenado em malas leiloadas como parte da venda de unidades de armazenamento, e levado para casa por uma família após a sua licitação vencedora.

A família, residente numa casa no sul de Auckland, chamou a polícia na quinta-feira passada depois de ter feito a descoberta, confirmou o oficial da polícia Tofilau Faamanuia Vaaelua.

A polícia não acredita que a família esteja envolvida no suspeito homicídio.

"A prioridade da polícia é confirmar a identidade do falecido para que possamos estabelecer as circunstâncias completas por detrás da descoberta", acrescentou Vaaelua.

Em curso está um exame genético post-mortem e os investigadores forenses tentam determinar o número de vítimas, de acordo com a polícia.

Os leilões de conteúdos abandonados é uma prática comum para unidades de armazenamento em dívida de pagamento.

O proprietário de uma unidade de armazenamento em Papatoetoe, South Auckland, disse ao site de notícias Stuff que o negócio está a cooperar com a polícia em relação à investigação.

Vaaelua acrescentou que a polícia acredita que "não há risco imediato para o público no que diz respeito a este incidente".