Exclusivo Mulheres na construção civil? Mudança começa nas escolas

Socióloga Virgínia Ferreira defende que desconstrução dos estereótipos tradicionais do que é para o homem e para a mulher começa pela educação e nos bancos da escola.

É no mercado de trabalho que a divisão do que é para o homem e para a mulher continua a ser mais marcante. A mudança de mentalidade tem de acontecer e tudo começa com a educação e nos bancos de escola. Se tal não for assim, tanto homens como mulheres continuarão a ser condicionados nas suas escolhas.

Virgínia Ferreira, socióloga e presidente da Associação Portuguesa de Estudos sobre a Mulher (APEM), defende que "a mudança começa na escola com a desconstrução de estereótipos convencionais sobre o que é para a mulher ou para o homem. Uns e outros não deverão ser condicionados nas suas escolhas profissionais."

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG