Premium Wolves. A equipa dos "portugueses absolutamente brilhantes"

O clube treinado por Nuno Espírito Santo está a superar as expectativas na liga inglesa. Com sete jogadores portugueses na equipa principal, entre eles o renascido Moutinho e o jovem Rúben Neves, estão no sétimo lugar e nas meias-finais da Taça.

Steve Bull foi ao Mundial 90 pela mão de Bobby Robson. Jogava na II Divisão, a triste realidade a que se habituaram os adeptos do glorioso Wolverhampton (três vezes campeão nos anos 1950). O ex-avançado (1986-1999) e agora vice-presidente está no hall of fame do clube e maravilhado com a campanha do Wolves, sétimo classificado na liga inglesa e com lugar garantindo nas meias-finais da Taça de Inglaterra. "Estou há 33 anos aqui. Os portugueses são absolutamente brilhantes." Outra referência, de tempos melhores (1975-1984, nove épocas, das quais só duas na II Divisão - e que deram o último título, a Taça da Liga em 1980), Mel Eves, brinca a sério: "O Wolverhampton devia geminar-se com o Porto. Isto mostra impacto dos portugueses."

Há 16 portugueses + 1 (Jorge Mendes), liderados pelo treinador Nuno Espírito Santo (cinco membros da equipa técnica, em que se incluiu um terapeuta, sete jogadores da equipa principal - Rui Patrício, João Moutinho, Rúben Neves, Diogo Jota, Ivan Cavaleiro, Hélder Costa, Rúben Vinagre - e três nos sub-23), a recuperar a glória há muito perdida pelo clube que desde 1888 está no topo em golos marcados (apenas atrás de Manchester United e Arsenal) e pontos (United, Liverpool e Arsenal). "Fui jogador muitos anos e provavelmente no último período em que o Wolves teve sucesso", diz Mel Eves, 62 anos, e titular na última grande conquista - Taça da Liga em 1980 sobre o campeão europeu Nottingham Forest. Antes, tinha havido o período dourado de 1947-1961: os únicos três campeonatos (1954, 1958, 1959), três segundos lugares (1950, 1955, 1960) e quatro terceiros (1947, 1953, 1956, 1961) e duas das quatro Taças (1949, 1960).

Ler mais

Exclusivos