Exclusivo A tourada do IVA

A discussão em praça pública sobre a afirmação do primeiro-ministro de que hoje não gosta de ver touradas ao vivo ou na televisão, quando elogiou o que classificou como "arte" e homenageou um toureiro quando era presidente da Câmara Municipal de Lisboa, não deve afastar-nos da questão de fundo - a económica e fiscal - que desencadeou esta polémica, por muito que se goste ou deteste a tauromaquia.

O governo chegou a admitir alterar a taxa do IVA de 13% sobre as corridas de touros, por pressão do PAN e do BE (que defenderam a alteração para 23% e o fim da isenção de IVA para os toureiros), com base no argumento de que não se trata de um espetáculo comparável ao teatro ou ao cinema, por questões civilizacionais e de respeito pela vida animal, o que enfureceu os aficionados e agitou os movimentos antitouradas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG