Premium Novas palavras: terrorismo sobre as mulheres

As execuções do Estado Islâmico fizeram abalar o mundo. Em nome de uma qualquer loucura, pessoas foram decapitadas ou regadas com gasolina e deixadas a arder até morrer. Aconteceu no Norte da Síria e a comunidade internacional uniu-se contra aqueles selvagens.

Infelizmente não precisamos de ir muito longe para ter o mesmo espanto. Mulheres decapitadas, queimadas até morrerem, estranguladas, agredidas até sucumbirem, sequestradas ou violadas, são um acontecimento comum em Portugal. Ao lado da nossa porta. Durante anos, foram notícias de segundo nível num alinhamento de qualquer telejornal ou edição impressa, fruto da nossa rendição coletiva à frequência. Sem uma indignação tumultuosa, imparável, entre nós todos. Uma espécie de circunstância passional do ser humano a que nos habituamos.

Ler mais