Premium Derrick Rose. O mais jovem MVP da NBA desceu ao abismo mas quer reerguer-se

O jogador norte-americano estava no topo do basquetebol em 2011. Mas lesões sucessivas retiraram-lhe explosão e qualidade. Nesta semana anotou 50 pontos, um máximo de carreira, e chorou. Problemas fora do campo acompanharam um percurso cheio de altos e baixos.

A melhor celebração da noite de Halloween em toda a NBA foi a de Derrick Rose, jogador dos Minnesota Timberwolves, que entrou em campo renascido a lembrar os bons tempos, antes das várias lesões que diminuíram drasticamente a capacidade atlética de um basquetebolista que parecia destinado a ter outra história na modalidade.

Nem as previsões mais simpáticas dariam a Rose 50 pontos - um máximo de carreira - seis assistências, quatro ressaltos e ainda um bloco decisivo que deu a vitória à equipa de Minneapolis sobre os Utah Jazz, na passada quarta-feira. Foi a primeira vez que apareceu no cinco inicial da equipa em que chegou em março deste ano e jogou 41 minutos, tempo de jogo que não tinha há muito tempo, porque as lesões assim o ditaram. No final do jogo, e ainda no campo, chorou ao ser entrevistado, dedicando o jogo aos fãs e à equipa. A exibição não passou indiferente a ninguém. LeBron James, por exemplo, disse estar "contente" e "orgulhoso" de Rose.

Ler mais

Exclusivos