Stock de empréstimos à habitação sobe 4,8% e ao consumo cresce 4,9% em maio

Os empréstimos para habitação e consumo atingiram 98 700 e 20 100 milhões de euros em maio, correspondendo a um aumento face a 2021.

O 'stock' de empréstimos aos particulares para habitação e consumo atingiu 98.700 e 20.100 milhões de euros, respetivamente, em maio, mais 4,8% e 4,9% face ao mesmo mês de 2021, informou esta quarta-feira o Banco de Portugal (BdP).

De acordo com as estatísticas de empréstimos e depósitos bancários de empresas e particulares do banco central, no final de maio o montante total de empréstimos concedidos para habitação era de 98.700 milhões de euros (mais 4,8%) e o de empréstimos ao consumo somava 20.100 milhões de euros (mais 4,9%).

Quanto ao 'stock' de crédito às empresas, no final de maio o montante total era de 76.700 milhões de euros, mais 2,8% em relação a maio de 2021.

"Ainda assim - nota o BdP - este crescimento foi inferior ao registado nos meses anteriores, uma tendência que se mantém desde fevereiro".

O supervisor bancário refere que, em maio, "esta desaceleração foi mais expressiva nas pequenas e médias empresas e nas empresas do setor do alojamento e restauração".

"Pelo contrário, aceleraram os empréstimos concedidos às micro e grandes empresas e às empresas do setor das atividades imobiliárias", acrescenta.

Quanto aos depósitos, no final de maio os particulares tinham depositado nos bancos residentes 178.400 milhões de euros, mais 6,8% face a maio de 2021. Já as empresas tinham 63.400 milhões de euros em depósitos, um aumento homólogo de 11,8%.

O BdP sublinha que a evolução dos empréstimos e dos depósitos é medida pela taxa de variação anual, o que significa que é calculada apenas com base no montante das transações (concessão e amortização/reembolso de empréstimos e depósitos), desconsiderando outros efeitos (por exemplo, cambiais).

As estatísticas de empréstimos e depósitos bancários serão atualizadas em 27 de julho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG