Quase quatro em cada 10 portugueses têm um contrato a termo

A contratação temporária aumentou mais nos jovens (menos de 35 anos) na última década, com cerca de 69,1% dos trabalhadores dos 15 aos 24 anos e 47,1% dos trabalhadores dos 25 aos 34 anos.

Os contratos a termo têm aumentado em Portugal na última década e quase quatro em 10 portugueses estão nessas condições laborais.

Segundo dados revelados pela plataforma Brighter Future da Fundação José Neves, que analisa a evolução da contratação de trabalhadores, a percentagem de trabalhadores com um contrato a termo passou de 24% em 2010 para 36% em 2019. Quase quatro em cada 10 portugueses estão a contrato de trabalho temporário.

A análise utiliza os dados dos "Quadros de Pessoal", um relatório anual entregue por todas as empresas ao Gabinete de Estratégia e Planeamento do Ministério do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social.

A contratação temporária aumentou mais nos homens do que para as mulheres, sendo que no ano de 2019, 36,7% dos trabalhadores tinham um contrato a termo, em comparação com 34,3% das trabalhadoras.

Em relação às faixas etárias, houve um aumento mais significativo nos jovens (menos de 35 anos) em cerca de 17 pontos percentuais e verificaram-se maiores taxas de contratação temporária. Em 2019, cerca de 69,1% dos trabalhadores dos 15 aos 24 anos e 47,1% dos trabalhadores dos 25 aos 34 anos tinham um contrato a termo.

A análise também verificou que os trabalhadores com ensino superior são os que apresentam um menor número de contratos a termo. Em 2019, a proporção dos trabalhadores com ensino superior e com contrato a termo foi de 27,5%, um valor 7,7 e 13,8 pontos percentuais abaixo dos trabalhadores com ensino básico (35,2%) e secundário (41,3%).

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG