Qatar assina o mais longo acordo de fornecimento de gás com a China

A QatarEnergy enviará anualmente quatro milhões de toneladas de gás natural liquefeito do seu novo projeto North Field East para a China. A North Field está no centro da expansão do Qatar da sua produção de gás natural liquefeito em mais de 60%, para 126 milhões de toneladas por ano até 2027.

A QatarEnergy anunciou esta segunda-feira um acordo de abastecimento de gás natural com a China por 27 anos, chamando-lhe o "mais longo" alguma vez visto, num contrato que reforça os laços com a Ásia, enquanto a Europa luta por fontes alternativas de energia.

A empresa estatal de energia enviará anualmente quatro milhões de toneladas de gás natural liquefeito do seu novo projeto North Field East para a China Petroleum and Chemical Corporation (Sinopec), afirmou.

O acordo "marca o mais longo acordo de fornecimento de gás na história da indústria do GNL (gás natural liquefeito)", disse Saad Sherida al-Kaabi, ministro da energia do Qatar e chefe executivo do QatarEnergy.

Os países asiáticos liderados pela China, Japão e Coreia do Sul são o principal mercado para o gás do Qatar, que está a ser cada vez mais procurado pelos países europeus desde a invasão da Ucrânia pela Rússia.

As negociações com os países europeus têm tido dificuldades, uma vez que a Alemanha e outros países se têm mostrado relutantes em assinar este tipo de acordos de longo prazo feitos com nações asiáticas.

A North Field está no centro da expansão do Qatar da sua produção de gás natural liquefeito em mais de 60%, para 126 milhões de toneladas por ano até 2027.

"O QatarEnergy tem muito GNL para comercializar... mas estão muito confiantes na demanda", disse à AFP Ben Cahill, um membro sénior do think-tank do Centro de Estudos Estratégicos e Internacionais com sede em Washington. "E neste mercado, com os compradores preocupados com a segurança energética e a tentativa de bloquear volumes a partir de meados da década, não há necessidade de a QatarEnergy se contentar com nada, excepto contratos a longo prazo".

A China é o primeiro país a selar um acordo para o North Field East. O presidente da empresa chinesa revelou que também tinha solicitado uma parte do projeto North Field South, que é dominado pelos gigantes da energia ocidentais. O acordo iria "solidificar ainda mais as excelentes relações bilaterais entre a República Popular da China e o Estado do Qatar e ajudar a satisfazer as crescentes necessidades energéticas da China", disse Kaabi.

O presidente da Sinopec, Ma Yongsheng, que participou numa cerimónia de assinatura virtual a partir de Pequim, disse que este acordo é um "marco", uma vez que "o Qatar é o maior fornecedor mundial de GNL e a China é o maior importador mundial de GNL".

"Obrigado por levarem isto seriamente em consideração", disse Ma a Kaabi na cerimónia, acrescentando que a Sinopec queria explorar outros potenciais negócios com a QatarEnergy.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG