Portugal bate "novo recorde do mundo" em leilão solar. Poupança de 559 milhões de euros

O ministro do Ambiente anunciou que neste leilão solar foram adjudicados 670 megawatts (MW) e que foi conseguido o preço mais baixo de sempre: 11,14 euros MW-hora (MW/h), na modalidade de preço fixo.

"O leilão foi de facto um sucesso, ainda maior do que o leilão que há mais ou menos um ano decorreu [...] Batemos um novo recorde do mundo, que foi conseguido a partir de um leilão absolutamente transparente", anunciou o ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, numa conferência de imprensa, em Lisboa.

De acordo com o ministério, a empresa sul-coreana Hanwha Q-Cells foi a "grande vencedora" deste segundo leilão solar, que decorreu nos dias 25 e 25 de agosto, tanto em número de lotes (seis), como em capacidade adjudicada (total de 315 MW).

Matos Fernandes referiu que, com este leilão, conseguem-se ganhos para os consumidores na ordem dos 559 milhões de euros a 15 anos.

Este valor corresponde a um ganho unitário de cerca de 833 mil euros por cada MW adjudicado (15 anos), o que representa um acréscimo de cerca de 80% face ao ganho unitário obtido no leilão de 2019 (cerca de 464 mil euros por cada MW adjudicado), esclarece o ministério.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG