Novo Banco vende sucursal em Espanha ao Abanca

Com um volume de negócio de 4.287 milhões de euros, o Novo Banco tem 10 agências em Espanha, especializadas em banca pessoal, privada, de empresas e institucional, uma equipa de 172 colaboradores e uma rede com 102 agentes financeiros especializados.

O Abanca fechou a compra do Novo Banco em Espanha reforçando o seu posicionamento no segmento da banca pessoal e empresas, elevando para 100 000 milhões de euros o seu volume de negócios. Esta operação segue-se à compra no ano passado do Bankoa. "A transação está sujeita às autorizações regulatórias correspondentes e à conclusão do processo de integração", informa o Abanca em comunicado.

A compra do Novo Banco apresenta um "baixo risco de execução e mínimo consumo de capital", garante o Abanca, que após a operação passará a ter um volume de ativos de 71.338 milhões de euros e a gerir 42.368 milhões de euros de crédito a clientes, 46.037 milhões de euros de depósitos e 11.789 milhões de euros de passivos fora do balanço. Contará com 6.312 colaboradores e 745 agências.

O que ganha o Abanca

Com um volume de negócio de 4.287 milhões de euros, o Novo Banco tem 10 agências em Espanha, situadas em centros urbanos, especializadas em banca pessoal, privada, de empresas e institucional, uma equipa de 172 colaboradores e uma rede com 102 agentes financeiros especializados.

"Esta operação reforça o posicionamento do Abanca em Espanha, especialmente em Madrid, e em segmentos que são estratégicos para o banco. O primeiro é o negócio da banca pessoal e privada, que cresceu nos últimos anos, tal como estava previsto no Plano Estratégico e com as aquisições da rede de retalho e private banking do Deutsche Bank em Portugal, do Banco Caixa Geral em Espanha e, mais recentemente, com a aquisição do Bankoa", refere o banco.

O segundo eixo que será reforçado é a do negócio de empresas, "especialmente nas operações fora do balanço e na atividade cross border". A operação de compra irá ainda potenciar o crescimento do Abanca na área dos seguros.

"Um negócio que está em pleno crescimento no Abanca após o relançamento da companhia de seguros de vida e a criação do Abanca Seguros, em conjunto com o Crédit Agricole Assurances, que já tem licença para operar e vai lançar os seus primeiros produtos próprios nas próximas semanas. As importantes sinergias desta operação vão permitir ao Abanca avançar na melhoria da sua eficiência", destaca a instituição financeira.

Esta é a sexta operação financeira realizado pelo banco desde 2014, com a compra do Banco Etcheverría, seguido do Popular Servicios Financieros (2017), do negócio de retalho e private banking do Deutsche Bank e do braço espanhol da Caixa Geral de Depósitos, o Banco Caixa Geral (2018). O ano passado foi adquirido o Bankoa, cuja integração será concluída no quarto trimestre de 2021.

Leia mais em Dinheiro Vivo

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG