Mollie abre Centro de Desenvolvimento em Lisboa e espera criar mais de 100 empregos até final de 2003

Startup holandesa espera recrutar mais de 100 colaboradores até ao final de 2023 para o seu Centro de Desenvolvimento na capital

A startup holandesa Mollie, considerada um dos processadores de pagamento com crescimento mais rápido da Europa, escolheu Lisboa para abrir o seu primeiro Centro de Desenvolvimento e pretende recrutar mais de 100 colaboradores até 2023, de acordo com uma nota enviada à nossa redação.

Após aumentar a sua valorização para 5,4 mil milhões de euros, a empresa tem o objetivo de acelerar e expandir o desenvolvimento dos seus serviços.

Diogo Antunes, Senior Engineering Manager na Mollie, irá coordenar o Centro de Desenvolvimento, e estabeleceu como objetivos de recrutamento a contratação de até 20 colaboradores até ao final de 2021, aumentar a equipa para 60 membros no ano seguinte e alcançar a meta de mais de 100 colaboradores em 2023. "Como portugueses, conhecemos as capacidades incríveis do talento em engenharia que emerge em Lisboa", frisou.

"A Mollie é uma das maiores fintechs privadas da Europa e temos planos sólidos para acelerar o desenvolvimento de produtos que respondam às crescentes necessidades dos nossos mais de 120.000 clientes. Estamos muito entusiasmados por vir para Portugal e acreditamos que Lisboa é uma base fantástica para instalar o nosso novo Centro de Desenvolvimento, tendo milhares de engenheiros de software e gestores de produto na região. A capital portuguesa tem um ecossistema de tecnologia muito forte e de rápido crescimento e uma diversidade de universidades de ciência e engenharia de referência a nível mundial. Acreditamos também que será uma boa oportunidade para expandir no mercado no futuro", afirmou Marco dos Santos, CTO da Mollie

Em Portugal, a Mollie irá participar em eventos como a Web Summit e a WomenHack, em Lisboa, em novembro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG