Minuto imobiliário: O que ter em conta numa segunda visita a uma casa?

Em parceria com o Dinheiro Vivo, todas as sextas-feiras, o consultor imobiliário José Cabral, especialista no mercado residencial da Grande Lisboa e autor do blogue A House in Lisbon, lança um vídeo de cerca de 60 segundos com dicas muito práticas sobre tudo o que é importante no mercado imobiliário. Esta é já a segunda série de episódios.

Visitar os imóveis é essencial quando quer comprar casa. Antes de fazer as visitas, deve anotar tudo o que pretende na sua casa de sonho - desde a localização à tipologia, passando pela exposição solar, comodidades, a proximidade a transportes, entre outros fatores.

No dia da visita, deve levar essa lista consigo de forma a ver com os seus próprios olhos se efetivamente o imóvel corresponde àquilo que pretende, se faz jus às fotografias e descrição disponibilizadas no anúncio.

Deve também ter consigo uma outra lista, ainda mais específica, onde constem todas as dúvidas que pretende tirar junto do proprietário ou do mediador imobiliário. Preparar a visita é essencial.

Por vezes, uma visita não é sequer suficiente, porque para ter noção de alguns detalhes é necessário estar no imóvel em diferentes períodos do dia. Por exemplo, se quiser perceber se o imóvel tem uma boa exposição solar ou se os vizinhos são barulhentos durante o seu período de sono.

Veja também: Minuto imobiliário: Está à procura de casa? Tenha atenção ao condomínio

Opte por visitas durante o dia

Visitar os imóveis durante o dia é sempre a melhor opção. Isto porque numa visita de dia consegue facilmente perceber quais são as assoalhadas que recebem luz natural e quais são aquelas que podem ser mais frias e húmidas.

Além disso, numa visita durante o dia consegue perceber com clareza alguns problemas que podem existir na habitação. A luz artificial pode desviar a sua atenção de maus acabamentos e pequenos sinais de problemas que a habitação tenha tido no passado.

Esteja atento à conservação do imóvel

Se vai visitar uma casa usada é fundamental que observe muito bem o estado de conservação. A sua análise deve começar desde o exterior do imóvel até aos detalhes interiores da habitação.

Para além do estado de conservação exterior da habitação, veja no interior o estado das paredes, tetos, portas, armários da cozinha e da casa de banho, azulejos, etc. Pode parecer zelo em demasia, mas a verdade é que se o estado de conservação não for o melhor, poderá ter que investir bastante dinheiro em obras de melhoramento e renovação no futuro.

Pergunte pela humidade, isolamento, ventilação e canalização

Faça perguntas mais técnicas sobre os materiais usados na construção e obras que foram feitas na habitação. É muito importante que consiga perceber se a habitação foi construída com bons isolamentos, se a canalização já sofreu atualizações ou se a casa tem problemas de humidade.

Além disso, deve verificar se as divisões têm todas janelas, e caso existam divisões interiores pergunte se não existem problemas de ventilação e humidade. Ao entrar nas assoalhadas deve também reparar se a temperatura é a mesma ou se existem divisões mais frias ou quentes.

Esteja atento ao ruído

Durante as visitas que fizer às casas, repare sempre no barulho dentro das habitações, mas também quando estiver fora das mesmas. Dentro das habitações se ouvir as conversas dos vizinhos, bem como bastante barulho vindo do exterior, pode significar que a casa não tem bons isolamentos.

Para além disso, deve também estar atento a ruídos fora do normal. Para além de vizinhos, tente perceber se a rua é demasiado movimentada e barulhenta. Se tiver comércio, uma estrada princial, serviços ou escolas na sua rua, veja se o ruído que os mesmos provocam não vão prejudicar a sua qualidade de vida quando estiver em casa.

Veja aqui todos os episódios do Minuto Imobiliário.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG