Campanha portuguesa da McDonald's está a ser falada lá fora pelas piores razões

A campanha, diz a marca, pretendia aludir ao Halloween. Para isso, jogavam com as palavras Sundae e bloody (sangrento) que remetem para as mortes do domingo sangrento de 30 de janeiro de 1972 na Irlanda do Norte. CNN, The Guardian e BBC estão a falar sobre o assunto

A campanha publicitária da McDonald's que pretendia juntar o gelado Sundae e a palavra bloody (sangrento) para assim assinalar o Halloween foi mal recebida pelos consumidores. A marca retirou os posters dos restaurantes, mas não vai a tempo de retirar a informação do mundo. Só esta quinta-feira à tarde, já tinha sido notícia no The Guardian, na BBC, na Sky News e na CNN.

Um irlandês partilhou no Twitter a imagem do gelado e a campanha com a legenda "Portugal cancelado".

As campainhas começaram a soar precisamente no sítio do costume - as redes sociais.

Na campanha portuguesa da cadeia McDonald's, ​​​​​​​havia um jogo de palavras com o título da canção Sunday Bloody Sunday, dos U2. Acontece que a canção é uma alusão à noite sangrenta de 30 de janeiro de 1972, em que morreram 14 pessoas nos confrontos entre manifestantes católicos, protestantes e o exército.

A mensagem publicitária terá passado o crivo do publicitário e do cliente, pelo menos, e só quando chegou às lojas, em posters de grandes dimensões onde se vê a imagem do gelado sundae e a frase Sundae Bloody Sundae se percebeu o impacto das frases, através do alerta de clientes britânicos em Portugal. E como a expressão quer dizer mais do que o nome daquela canção que os U2 editaram em 1983. Rapidamente a campanha foi retirada, depois de ter aparecido em jornais como o The Guardian, e o site Politico.

Era, diz agora a McDonald's, uma estratégia "para promover a gama de gelados e celebrar o Halloween". Em comunicado, adiantam que "alguns restaurantes McDonald's implementaram uma ativação local para assinalar esta data com os seus consumidores" e acrescentam que "a marca nunca teve o intuito de estabelecer qualquer ligação a eventos históricos ou, de alguma forma insultar alguém".

"O material desta ativação local já foi removido dos restaurantes", concluem.

Não é a primeira vez que a cadeia norte-americana faz alterações em campanhas após chamadas de atenção do público que se manifesta nas redes sociais. Em 2016, perante o debate em torno dos brinquedos para menino e menina, a McDonald's decidiu que passaria a deixar a escolha para os clientes.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG