Limpeza da dívida histórica da CP afinal depende de Bruxelas

Ao contrário da proposta de OE chumbada em outubro, a nova proposta do Governo não contempla a "limpeza" da dívida histórica da CP. Medina explica que operação depende de Bruxelas.

A primeira proposta do Orçamento do Estado para 2022 (OE2022), chumbada em outubro, previa uma injeção de capital de 1.815 milhões de euros na CP - Comboios de Portugal, abrindo a porta ao saneamento da dívida histórica da empresa ferroviária. Ora, essa medida já não consta na nova proposta de OE2022, apresentada esta quarta-feira, porque, segundo o ministro das Finanças, Fernando Medina, tal operação deve ser negociada com a Comissão Europeia.

"O saneamento da dívida da CP vai realizar-se", prometeu o ministro das Finanças na conferência de imprensa de apresentação da nova proposta OE2022. Contudo, não só poderá não ser já em 2022, como também não será através dos mecanismos previstos no orçamento.

Leia mais no Dinheiro Vivo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG